Postagem em destaque

Conheça a trajetória de Carlos Chosn preso no Japão, o executivo que virou 'titã' da indústria automotiva

A montadora afirmou, em nota, que conduziu uma investigação interna por vários meses e descobriu que  Ghosn "subnotificou seus rendi...

sábado, 11 de novembro de 2017

Van da Mercedes é assaltada a tiros em interlagos, Hamilton lamenta

"Alguns membros da equipe tiveram armas apontadas ontem à noite saindo do circuito aqui no Brasil", relatou Hamilton. "Isso é muito triste de se ouvir. Por favor, mandem orações para meus caras que estão aqui como profissionais, mesmo abalados".


Por meio de sua conta oficial no Twitter, o britânico Lewis Hamilton lamentou o assalto à van de sua equipe Mercedes, na noite de sexta-feira (10),  e detalhou que "tiros foram disparados e armas colocadas em suas cabeças", escreveu o piloto.

A van foi assaltada na Avenida Interlagos, em frente ao autódromo, onde ocorre neste final de semana o GP do Brasil de Fórmula 1. De acordo com a assessoria do time alemão, membros da equipe tiveram alguns pertences roubados. Não há feridos, no entanto.

O assalto aconteceu por volta das 20 horas (de Brasília),  quando vans de equipes da F1 e um carro da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) foram abordados após os treinos livres do Grande Prêmio brasileiro, na saída do circuito. O carro da Williams, que estava mais atrás, presenciou o ocorrido. Por ser blindado, o veículo da FIA conseguiu escapar também sem danos. Já os funcionários da Mercedes tiveram itens roubados."Alguns membros da equipe tiveram armas apontadas ontem à noite saindo do circuito aqui no Brasil", relatou Hamilton. "Isso é muito triste de se ouvir. Por favor, mandem orações para meus caras que estão aqui como profissionais, mesmo abalados". Na manhã deste sábado, Toto Wolff, chefe da Mercedes, concordou: "Estão todos muito assustados".De acordo com a assessoria da Mercedes, alguns pertences de membros da equipe foram roubados. Apesar da violência e do susto, não houve feridos.Esta não é a primeira vez que algo parecido ocorre em São Paulo. Em 2010, o britânico Jenson Button escapou ileso de uma tentativa de assalto também na saída do circuito paulista. "Isso acontece aqui todo ano. A F1 e as equipes precisam fazer mais. Sem desculpas!", finalizou Hamilton. 
fonte: Terra

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE