Postagem em destaque

Fique atento! Criminosos disfarçados de funcionários da EDP aplicam golpes em São José, SP

Criminosos disfarçados de funcionários da EDP, concessionária de energia que atende 19 cidades da região, aplicam golpes em clientes em ...

domingo, 1 de abril de 2018

TSE paga R$ 1 mil a ministros por sessões de menos de 2 minutos


Resultado de imagem para TSE sessao

BRASÍLIA — Com frequência, as sessões do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) têm sido breves. Na noite desta terça-feira, contudo, a corte atingiu uma nova marca. Em apenas 2 minutos e 45 segundos, os ministros decidiram recursos sem discussões ou polêmicas. Por sessão, cada um dos sete ministros recebe a chamada gratificação de presença, ou jeton, no valor de R$ 1.012,89.

Dos sete ministros, seis estavam presentes: Luiz Fux, Rosa Weber, Napoleão Nunes Maia, Admar Gonzaga, Tarcísio Vieira e Jorge Mussi. A única ausência foi a do presidente, Gilmar Mendes, que está em viagem institucional. Já no início da sessão, Fux, que presidiu os julgamentos interinamente, anunciou:

— Hoje teremos uma sessão jurisdicional um pouco mais simples.

Houve o julgamento de poucos processos e, instantes depois, o mesmo Fux anunciava o término da sessão, sem esconder o próprio espanto com a brevidade dos julgamentos.
O TSE costuma se reunir nas terças-feiras à noite e nas quintas-feiras pela manhã. Embora muitas sessões sejam breves, com duração de poucos minutos, nem sempre é assim. Na última terça-feira, os ministros julgaram ações contra os principais candidatos às eleições presidenciais de 2018: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). A sessão durou 1h40.
Quando não há muitos processos importantes na pauta, as sessões da corte costumam ser breves. Foi o que aconteceu, por exemplo, em 14 de setembro, quando os ministros ficaram em plenário por 22 minutos e 40 segundos. Em 14 de setembro, foram 25 minutos e 50 segundos.

Sessao dura 2 minutos e 45 segundos, R$ 1.012,89 é o valor para cada ministro nesse tempo gasto.




fonte; O Globo
Postar um comentário

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE