“Justiça seja feita, todos nós estamos construindo, e eles [sindicato] inclusive, um ambiente de negócios mais salutar. Eles sempre serão aguerridos, faz parte do trabalho deles, tá no DNA deles brigar muito pelas condições dos trabalhadores. Mas o limite disso é a responsabilidade,  o bom senso que não havia no passado e parece que está havendo agora. Não só nas conversas, nos atos. Isso faz uma diferença astronômica no ambiente de negócio”, disse Mano, durante o debate realizado no auditório da Assecre (Associação dos Empresários do Chácaras Reunidas), zona sul de São José.
Procurado pelo Meon, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região preferiu não dar entrevista, e enviou a nota abaixo por meio de sua assessoria de imprensa.
 “No decorrer de sua história, o Sindicato dos Metalúrgicos sempre se norteou pela defesa dos direitos e empregos dos trabalhadores. Como representantes dos metalúrgicos, é nosso dever buscar organizá-los em defesa de suas reivindicações, expondo claramente nossas posições. De qualquer forma, defendemos o princípio da democracia operária e sempre respeitaremos as decisões da categoria. O nosso sindicato tem um lado: o lado dos trabalhadores.”

fonte: Meon Notícias