Postagem em destaque

Relatório chocante revela níveis extremos de perseguição aos cristãos na Índia

Líderes governamentais na Índia receberam recentemente um aviso severo da Comissão Americana de Liberdade Religiosa Internacional (USCI...

sábado, 14 de setembro de 2019

Roubam seus próprios companheiros, suspeita de fraude na eleição municipal interna do PT, tem mais votos que eleitores



Uma divergência entre o número de eleitores e o total de votos apurados na eleição do PT em Cariacica adiou por mais um dia o fechamento dos resultados gerais e definitivos da disputa interna do partido. Em uma das três urnas do município foram contabilizados 29 votos a mais que o total de presentes, informaram outros petistas.

Os petistas escolheram presidentes dos diretórios de 52 cidades e também votaram para as chapas estaduais. No PT, as respectivas votações dessas chapas define a proporção de delegados partidários que cada uma terá. Esses delegados – são 250, ao todo – elegem o presidente do partido no Estado, função hoje ocupada pelo ex-prefeito de Vitória João Coser.
O presidente do processo eleitoral, Simonetti não quis detalhar o motivo da polêmica. Contudo, a reportagem do jornal GazetaOnline confirmou a divergência no número de votos com quatro petistas inseridos no processo eleitoral. Um deles, o ex-deputado estadual José Carlos Nunes, da corrente interna Construindo um Novo Brasil (CNB). O candidato do grupo à presidência do PT de Cariacica apresentou recurso.
“Foi detectada uma quantidade de votos a mais do que constava na lista de presença. Tinha mais voto do que assinatura. Foram 29 a mais, quase 10% dos 320 votos da urna. A urna tem que ser impugnada. Tem indício de fraude nessa urna. Se fossem um, dois ou três, talvez a pessoa que votou esqueceu de assinar. Mas 10% é no mínimo suspeito”, disse Nunes.
Cariacica é reduto eleitoral do deputado federal Helder Salomão, que tenta assumir o controle do partido no Espírito Santo. Ele disputa com a microempresária Jackeline Rocha. Candidata do PT ao governo do Estado em 2018, ela é apoiada por Nunes e por Coser.
fonte: Gazeta Online

Nenhum comentário: