sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Deputada do Psol é ameaçada de cassação por recitar poema controverso na Alesp


Leu poema ‘Sou puta, sou mulher’, deputado do PSL vai representar, assista ao discurso da deputada

A leitura de 1 poema no plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) pode motivar a abertura de 1 processo por quebra de decoro, com pedido de cassação do mandato de uma deputada.


O deputado Douglas Garcia (PSL) prometeu representar no Conselho de Ética para pedir a cassação do mandato de Isa Penna (Psol). Isso porque a deputada recitou o poema “Sou puta, sou mulher”, da poetisa Helena Ferreira, em plenário, na 3ª feira (1º.out.2019).
Na ocasião, Isa foi à tribuna para criticar projeto do deputado Altair Moraes (Republicanos) que quer que o critério biológico seja o único princípio de seleção de jogadores em atividades esportivas, excluindo a identidade social de transgêneros na separação de equipes masculinas e femininas. O colegiado votou o requerimento para que a proposta tramitasse em regime de urgência.
Antes de declamar o poema, a deputada disse ter nascido em uma família católica e que a postura dos deputados é absolutamente antagônica ao que Jesus ensinou sobre amar ao próximo. Logo em seguida, recitou o poema para usar “a arte para tocar o coração dos deputados e deputadas”.
Poder360 elenca abaixo alguns momentos do vídeo:
  • 2min 52seg: deputada começa a declamar o poema;
  • 4min 24seg: deputada Valéria Bolsonaro pede questão de ordem e interrompe a deputada;
  • 4min 33seg: microfone da deputada é cortado e o presidente da Casa, Cauê Macris (PSDB) dá a palavra para a deputada Valéria Bolsonaro;
  • 4min 38seg: deputada Valéria Bolsonaro começa a falar;
  • 5min 38seg: Isa retoma a palavra e volta a decifrar o poema;
  • 7min 37seg: presidente solicita novamente que Isa não fale palavras de baixo calão;
  • 8min 39seg: Isa manifesta seu repúdio a “hipocrisia” e retoma o poema;
  • 9min 19seg: deputado Campos Machado (PTB) pede questão de ordem
  • 10min 49seg: Isa fala sobre a “hipocrisia da sociedade ao falar sobre a prostituição”.
Durante seu pronunciamento, Isa foi interrompida diversas vezes. A deputada Valéria Bolsonaro (PSL) defendeu que a liberdade de expressão “tem limite“. Isa Penna argumentou que estava usando seu direito de fala. O presidente da Casa, Cauê Macris (PSDB), também pediu para que Isa parasse de usar palavras de baixo calão e para que elas fossem retiradas dos autos, pois não era “correto usar a tribuna da casa nesse sentido”.
Isa não seguiu as instruções do presidente e retomou sua fala. “Se Vossa Excelência continuar a proferir palavras de baixo calão, ações e expressões que não representem o Estado de São Paulo eu vou ter que suspender nossa sessão”, retrucou Cauê Macris.
O deputado Douglas Garcia, que prometeu representar contra sua colega no Conselho de Ética, divulgou em suas redes sociais vídeo editado do pronunciamento de Isa Penna, seguido de seu próprio discurso na tribuna. Eis o vídeo:
Vídeo incorporado

fonte: Poder360

Nenhum comentário:

INSTAGRAM

COMPARTILHE