sábado, 9 de novembro de 2019

Lula ataca Moro, Lava Jato e Bolsonaro em discurso ao deixar a prisão


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agradeceu o apoio da militância e desferiu ataques à operação Lava Jato e ao ministro da Justiça e ex-juiz, Sergio Moro, em seu 1º ato em liberdade desde abril de 2018, no fim da tarde desta 6ª feira 9.nov.2019).

Viram o que o lado podre do Estado brasileiro fez comigo. O lado podre da Justiça. O lado podre do Ministério Público. O lado podre da Polícia Federal, da Receita Federal. Trabalharam para tentar criminalizar a esquerda, criminalizar o PT, criminalizar o Lula“, esbravejou Lula logo após deixar o prédio da Superintendência da Polícia Federal de Curitiba.
Solto após 580 dias por força de decisão baseada no julgamento do STF (Supremo Tribunal Federal) que proibiu prisões após condenação em 2ª Instância, Lula discursou por 16 minutos e 4 segundos, rodeado por apoiadores e acompanhado pela namorada e por lideranças do PT.Receba a newsletter do Poder360
Lula criticou Moro e os desembargadores do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), bem como o coordenador da força-tarefa de procuradores da Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol. “Vou dizer para vocês, se pegar o Dallagnol, o Moro, e alguns delegados que fizeram inquérito, enfiar 1 dentro do outro e bater no liquidificador, o que sobrar não é 10% da honestidade que represento neste país“, disse. 
“Quero que vocês saibam que, além de continuar lutando para melhorar a vida do povo brasileiro –que está uma desgraça– além de lutar para não permitir que esses caras entreguem o país, eu quero dizer em alto e bom som que o lado mentiroso da PF fez 1 inquérito contra mim. O lado mentiroso e canalha do Ministério Público e o [Sergio] Moro e mais o TRF-4, eles têm que saber: eles não prenderam 1 homem, eles tentaram matar uma ideia, e uma ideia não se mata. Uma ideia não desaparece”, continuou.
Assista à íntegra do discurso (23min37 seg):
Em seu discurso, o petista fez algumas menções ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ironizou o uso das redes sociais do presidente e fez graça com a patente de Bolsonaro, que é capitão reformado do Exército, e o comparou com 1 dos integrantes de sua equipe de segurança. “Eu não posso apresentar os meus companheiros da segurança, mas o Moraes que é o chefe está aqui. Não é só o Bolsonaro que é capitão, o Moraes também é capitão. Eu tenho meu capitão. Que não se aposentou como tenente e virou capitão não. Esse aqui é capitão de verdade. Se 1 dia o Bolsonaro te encontrar, ele que tem que bater continência para você“, brincou.
Sobre o governo, Lula criticou diretamente o ministro da Educação, Abraham Weintraub, e disse que pretende provar “que esse país pode ser muito melhor se ele tiver 1 presidente que não minta tanto no Twitter quanto o Bolsonaro”. “O Brasil piorou. O povo está desempregado, o povo está trabalhando de Uber, de bicicleta para entregar comida. Vi a notícia que não vai ter aumento de salário mínimo nos próximos 2 anos“, avaliou.
O ex-presidente também cumprimentou os “companheiros” do MST (Movimento sem Terra) e agradeceu todos que fizeram vigília na porta da PF de Curitiba.
“Vocês não têm dimensão do significado de eu estar aqui junto de vocês. Eu, que a vida inteira estive conversando com o povo brasileiro, não pensei que no dia de hoje poderia estar aqui conversando com homens e mulheres que, durante 580 dias, gritaram aqui ‘bom dia’, ‘boa tarde’, ‘boa noite Lula’. Não importa que estivesse chovendo, não importa que tivesse 40 graus, não importa se tivesse zero grau. Vocês eram o alimento da democracia que eu precisava”, disse.
fonte: Poder360

Nenhum comentário:

INSTAGRAM

COMPARTILHE