Postagem em destaque

Conheça a trajetória de Carlos Chosn preso no Japão, o executivo que virou 'titã' da indústria automotiva

A montadora afirmou, em nota, que conduziu uma investigação interna por vários meses e descobriu que  Ghosn "subnotificou seus rendi...

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Mulher que pagou R$ 18 mil por procedimento com Dr. Bumbum desiste em cima da hora

Resultado de imagem para Mulher que pagou R$ 18 mil por procedimento com Dr. Bumbum desiste em cima da hora

Uma paciente do médico Denis Furtado, conhecido como Dr. Bumbum, desistiu do procedimento em cima da hora, após pagar R$ 18 mil, por descobrir que ele seria realizado em um apartamento e não em uma clínica especializada. Após a decisão, ela ainda discutiu com a Maria de Fátima Barros Furtado, mãe dele. O telefonema foi gravado.

“Se eu fosse uma pessoa muito nervosa, extremamente estressada, eu iria para a delegacia agora, agora! Porque eu depositei R$ 18 mil. Agora você quer que eu faça esse procedimento dentro de casa, gente? Pelo amor de Deus!”, argumenta a paciente.

Maria de Fátima também é formada em Medicina, mas não pode exercer a profissão porque teve o registro cassado. Ela afirma que o local era seguro. “Você acha que uma casa é diferente de um consultório?”, ela destaca.

No último sábado (14), uma outra paciente, Lilian Calixto, uma bancária de Mato Grosso que passou por um procedimento no apartamento do médico no Rio de Janeiro, morreu horas depois, na madrugada de domingo (15). Denis Furtado não tinha registro ativo no Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) e foi indiciado por homicídio doloso e associação criminosa, com a mãe, uma funcionária, e a namorada, que está presa.

“Doutora Fátima, eu contratei o serviço para fazer em uma clínica!”, afirmou a paciente, indignada.

A mãe do médico colocou um ponto final na conversa. “Eu acho que acabou a relação entre paciente e médico, que é uma coisa muito importante, né. Então não tem mais nada para fazer com você. Só devolver o seu dinheiro mesmo”.

Nas redes sociais, ele mostrava o antes e depois das pacientes. Em uma delas, tinha mais de meio milhão de seguidores.

O médico tem passagens na polícia por homicídio, porte ilegal de arma e ameaça. Ele já foi indiciado quatro vezes pela Polícia Civil de Brasília por exercício ilegal da Medicina e crime contra o Consumidor. Ele está foragido.


fonte: G1

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE