Postagem em destaque

Fique atento! Criminosos disfarçados de funcionários da EDP aplicam golpes em São José, SP

Criminosos disfarçados de funcionários da EDP, concessionária de energia que atende 19 cidades da região, aplicam golpes em clientes em ...

domingo, 30 de setembro de 2018

TV Globo faz editorial a favor de urna eletrônica e contesta Bolsonaro



O apresentador do Jornal Nacional Rodrigo Bocardi leu neste sábado (29.set.2018) texto editorial da emissora defendendo a urna eletrônica. Segundo a TV Globo, “aceitar o resultado das urnas é 1 princípio básico de toda democracia”.


Leia a íntegra do editorial:
“Todos os candidatos que disputam esta eleição tiveram sua legitimidade sancionada pelo Tribunal Superior Eleitoral e estão, portanto, aptos a disputá-la. Aceitar o resultado das urnas é 1 princípio básico de toda democracia e deve ser respeitado por todos os candidatos e eleitores. Tanto o TSE quanto analistas independentes asseguraram reiteradas vezes que as urnas eletrônicas brasileiras são seguras. Especialmente porque não estão conectadas à internet, o que impede a ação de hackers.”
A decisão da maior emissora do país ocorre após o militar declarar em entrevista à TV Band que não aceitaria o resultado caso ele não fosse o eleito. Após ser indagado por José Luiz Datena se “as instituições militares aceitarão” o resultado das urnas, caso Fernando Haddad (PT) vença, Bolsonaro respondeu: “Não posso falar pelos comandantes militares. Respeito todos eles. Pelo que eu vejo nas ruas, eu não aceito 1 resultado das eleições diferente da minha eleição”.
Em entrevista para a Rede Globo logo após ter alta do Hospital Israelista Albert Einstein, Bolsonaro voltou a dizer que não dá para aceitar “passivamente” uma “fraude”.
“Um sistema eleitoral onde nós já tínhamos acertado uma maneira de auditá-lo, que é o voto impresso, lamentavelmente o Supremo Tribunal derrubou e também um sistema eleitoral que não é aceito em lugar nenhum do mundo. Então, a dúvida fica e não sou eu não. A maioria da população desconfia do voto impresso. Então, quer dizer exatamente isso aí. Eu vejo, aí que foi um absurdo o PT crescer, não existe isso. O que eu sinto nas ruas, o que eu vejo em manifestações, haverá uma grande amanhã na Paulista. É um sinal claro que o povo está do nosso lado e da forma como isso é demonstrado, não dá pra gente aceitar passivamente na fraude, na possível fraude a eleição do outro lado”, declarou.
Assista à entrevista e ao editorial:
O candidato do PSL já questionou diversas vezes a segurança do aparelho usado para registrar os votos dos brasileiros. Em 2015, o Congresso Nacional chegou a aprovar a impressão do voto a partir das eleições deste ano, para que o resultado pudesse ser auditado. Mas o Supremo Tribunal Federal decidiu, em junho de 2018, derrubar a medida após a Procuradoria Geral da República alegar que isso colocaria em risco o sigilo da escolha.
Os ministros decidiram suspender o artigo 2º da minirreforma eleitoral de 2015 (lei 13.165 de 2015), que estabeleceu: “No processo de votação eletrônica, a urna imprimirá o registro de cada voto, que será depositado, de forma automática e sem contato manual do eleitor, em local previamente lacrado”.
Contudo, o STF ainda terá de julgar a questão de maneira definitiva, em data ainda não confirmada.

fonte: Poder360
Postar um comentário

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE