Postagem em destaque

Indústria brasileira destaca produtos exclusivos na Agrishow 2019

Herbicidas de alta performance, desenvolvidos para as condições da agricultura nacional, estarão no estande da Ourofino Agrociência A Ag...

Não achou a matéria? Pesquise aqui!

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Metalúrgicos aprovam acordo para garantir investimentos na fábrica da GM em São José dos Campos

Metalúrgicos aprovam acordo com GM  Foto Samuel Strazzer Meon 07fev19
Cerca de 90% dos trabalhadores votaram a favor da proposta feita pela GM
Os trabalhadores da GM de São José dos Campos aprovaram nesta quinta-feira (7) o acordo para flexibilização de direitos apresentada pela montadora em troca da garantia de investimentos na unidade. A empres ameaçava fechar a fábrica em quatro anos caso a proposta de redução de custos não fosse aprovada.
Cerca de 4.000 trabalhadores participaram da assembleia, que teve início por volta das 14h30 --90% aprovaram a lista de 10 itens impostos pela empresa.  A fábrica de São José tem cerca de 5.000 funcionários. 
“Se não aprovassem as propostas, nós íamos perder o investimento. Eles[GM] não estavam blefando. [...] Por mais que seja uma faixa salarial mais baixa, tem muita gente desempregada. E isso vai trazer tranquilidade para a família. É muito ruim você vir trabalhar e não saber o que vai acontecer”, afirma Alessandra Verecki, 40 anos, funcionaria no setor de estamparia.
A proposta, que envolve outras nove questões, foi feita após seis rodadas de negociações com o sindicato dos metalúrgicos da cidade. Entre as medidas estão reajuste salarial zero em 2019, redução gradativa do adicional noturno e fim da estabilidade ao acidentado e com doença profissional para novos contratados, que seguiriram a legislação vigente e não mais o acordo coletivo. 
De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, o acordo só será assinado se a empresa garantir o investimento que se propôs a fazer. "A assinatura do acordo está condicionada a vinda dos investimento. Nós fizemos um acordo em 2013 que flexibilizou direitos e a empresa não cumpriu com o investimento de R$2,5 bilhões. O sindicato só assina este novo acordo se tiver garantia dos investimentos aqui na fábrica," afirma Weller Gonçalves, presidente do SindMetal.

Veja o que muda para o trabalhador

1- Participação nos Resultados com revisão da regra de aplicação, com prevalência da proporcionalidade para quem não tenha trabalhado 180 dias no mínimo no ano de vigência do plano, a partir de 2020. Não entrarão nessa contagem as ausências legais, tais como licença maternidade, paternidade, férias individuais e coletivas, doação de sangue e outras a serem especificadas pela empresa, quando da redação do acordo coletivo;
2- Participação nos Resultados por três anos, sendo 2019 – R$ 7.500,00, excepcionalmente para este ano, sem o conceito de proporcionalidade. 2020 – R$ 12.694,00 acrescido do INPC de janeiro a dezembro. 2021 igual ao valor do ano anterior acrescido do INPC de janeiro a dezembro; a primeira parcela será paga no mês de abril de cada ano;
3- Data-base 2019 – sem reajuste salarial e o pagamento de um abono no valor de R$ 2.500,00. Em 2020, aplicação de 60% do INPC apurado de setembro/19 a agosto/20 e pagamento de um abono no valor de R$ 1.500,00. Em 2021, aplicação de 100% do INPC, apurado de setembro/20 a agosto/21;
4- Adicional Noturno – redução gradativa, sendo: a) Em março de 2019 passa a ser de 27%. Em março de 2020, passará a ser de 24%, e em 2021 passará a ser de 20%. Além disso, a partir de março de 2019 a hora noturna será considerada das 22h às 6h. Para novas admissões no complexo, a hora noturna será de 20%;
5- Horas extras – exclusão dos limites de 29 horas no mês ou 275 horas no ano;
6- Complementação do auxílio previdenciário passará a ser de 60 dias, com aplicação uma única vez no ano civil;
7- Nova Grade Salarial para toda a unidade de São José dos Campos, com faixa inicial de R$ 1.700,00 a R$ 3.835,60 e progressão de 9 em 9 meses;
8 - Piso salarial de R$ 1.700,00 até 31 de agosto de 2019 e R$ 1.800,00 a partir de 1º de setembro de 2019, e a partir de 1º de setembro de 2020 será reajustado com o INPC do período de 1º de setembro de 2019 a 31 de agosto de 2020;
9 - Cláusula de garantia de emprego ao empregado acidentado e com doença profissional: manutenção da estabilidade aos acidentados e portadores de doenças ocupacionais para os atuais trabalhadores. Aos novos contratados, fica assegurada a legislação vigente;
10 - Renovação dos acordos de flexibilidade (escala patrimonial, domingo, jornada 12 x 36, jornada de terça a sábado, terceiro turno 6 x 1), inclusive o acordo das folgas anuais e DSR.

fonte: Meon Notícias

Nenhum comentário:

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE