Postagem em destaque

Quem é do AGRO visita a AGRISHOW, confira os valores do ingressos no local

A feira que movimenta o agronegócio brasileiro, reúne profissionais de todas as regiões do Brasil e do mundo, que se encontram para ...

Não achou a matéria? Pesquise aqui!

quarta-feira, 20 de março de 2019

Em discurso, Crivella diz que Rio é 'uma esculhambação completa'

Em discurso, Crivella diz que Rio é 'uma esculhambação completa'

Prefeito ainda reclamou do VLT, do carnaval e da PM durante evento para 80 servidores da Fundação Parques e Jardins, nessa terça-feira (19)

prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, disse que a cidade é "uma esculhambação completa" durante um discurso para 80 servidores da Fundação Parques e Jardins, na Taquara, Zona Oeste do Rio.

Como revelado pelo jornal O Globo, a fala foi proferida num evento realizado nessa terça-feira (19). O discurso do prefeito não pôde ser gravado pelos funcionários.
"Esse é o Rio de janeiro. Esse é o nosso Rio de Janeiro. É uma esculhambação completa".

No discurso, Crivella disse ainda que "quando o político rouba e fica rico, o comandante do batalhão também quer ficar rico. O coronel quer ficar rico. O tenente, o sargento, querem ficar ricos. Aí, eles sobem o morro para pegar o arrego. O arrego é o troco da cocaína".
Arrego é uma gíria que se refere a pagamentos realizados por criminosos a policiais para que não sejam presos ou punidos.
O prefeito seguiu com as críticas chamando o VLT de "aquela porcaria".
"No contrato que foi feito, quando o bondinho, o trenzinho alcançar a fase 3, a prefeitura tem que garantir 260 mil passageiros por dia. Quantos tem hoje? 60 mil. No final de um ano, dá 200 e tantos milhões. O contrato é de 25 anos, dá R$ 5 bilhões. Eu tenho 1.500 escolas precisando de reforma. Eu tenho hospitais precisando. Como é que eu vou fazer isso? Isso é maluquice. Isso é doideira. Como é que eu vou garantir que tem que ter passageiro no ônibus, que tem que ter passageiro no VLT? Quanto custou aquela porcaria? R$ 1 bilhão", disse Crivella.
Para finalizar, o político reclamou do retorno dado pelo carnaval. Segundo ele, os custos da folia são de R$ 70 milhões e "a prefeitura ganha uma banana" em troca.
Defesa
Em nota ao jornal, Marcelo Crivella afirmou tratar-se de uma fake news, pois a fala foi "descontextualizada".
O prefeito afirma que foi claro ao dizer que "a corrupção que devastou nosso Estado não se restringiu à Polícia, mas alcançou vários setores e Instituições: 'O mau exemplo dos políticos contaminava policiais, coronel, tenente, soldado, mas, graças a Deus, uma minoria. Como contaminava procurador geral, conselheiros de contas, engenheiros de obras e até secretários de saúde e diretores de hospitais'".
"Não houve em um momento sequer ataque a instituição da Polícia Militar e sim a minoria de maus profissionais que macularam a imagem da instituição centenária e que tem em sua história uma extensa lista de bons serviços prestados à sociedade."
Sobre o VLT, Crivella disse que a crítica não foi para o serviço em si, mas para a responsabilidade de garantir a demanda exigida em contrato assinado entre a gestão passada e o consórcio operador.
Reações
A Polícia Militar disse em nota que é "lamentável e inacreditável que o prefeito de uma cidade com tantos problemas sérios a resolver seja capaz de dar declarações tão absurdas". Segundo a PM, Crivella ofendeu uma legião de 45 mil policiais militares.
O comunicado cita que homens e mulheres arriscam suas vidas para defender a sociedade e afirma que policiais com desvios de conduta são exceções, não regra.
O secretário de estado de Polícia Militar, coronel Rogério Figueredo de Lacerda, que assina a nota, finaliza dizendo que repudia "com veemência as declarações do prefeito".
O VLT Carioca lamentou que Crivella use de seu discurso político para "desqualificar um projeto que faz parte da revitalização da região central da cidade". No comunicado, a empresa disse que o sistema transporta mais de 80 mil trabalhadores diariamente e tem 92% de aprovação de seus usuários, segundo o Instituto Datafolha.
"Já o descumprimento das contrapartidas contratuais previstas pela Prefeitura gera insegurança jurídica para investimentos na cidade e a falta de pagamento desde maio de 2018 pode causar a paralisação do VLT", finaliza a nota da concessionária.
fonte: Notíciasaominuto 

Nenhum comentário:

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE