sexta-feira, 11 de outubro de 2019

EUA - CEO da GM convoca reunião com o sindicato, enquanto a greve se arrasta

Resultado de imagem para GREVE gm eua

(CNN Business) No 24º dia da greve contra a General Motors, a CEO da empresa Mary Barra chamou o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Automóveis Unidos Gary Jones e o Vice-Presidente Terry Dittes para uma reunião cara a cara - a primeira desde que a greve começou, de acordo com três fontes familiarizadas com a reunião.

Barra reuniu-se com a liderança do sindicato por cerca de uma hora na tarde de quarta-feira na sede da GM em Detroit. O principal negociador da GM, Scott Sandefur, e Gerald Johnson, chefe de produção global da GM, também estiveram presentes.
De acordo com uma fonte familiarizada com o assunto, Barra convocou a reunião e pressionou Dittes e Jones a concordar com um acordo, citando o risco da classificação de crédito da GM cair para o status de junk bond.
Outras fontes familiarizadas com a reunião não puderam confirmar a discussão sobre a classificação de crédito da empresa. Mas a agência de classificação de crédito Moody's disse em uma nota quando a greve começou que a chance de ela causar danos materiais às finanças da GM aumentaria se durasse mais de duas semanas.
A empresa também enfrentou pressão dos acionistas, principalmente de fundos de pensão favoráveis aos sindicatos. O Building Trades Union da América do Norte, o California State Teachers' Retirement System e o New York State Common Retirement Fund - que detém ações da empresa - enviaram cartas à Barra expressando "preocupação" com a greve. As ações da GM (GM) fecharam um pouco mais alto na quinta-feira, mas ainda estão abaixo de 11% desde o início da greve.
Enquanto Barra esteve envolvida na estratégia de negociação da empresa enquanto as negociações se arrastaram, sua presença na sala foi uma indicação do aumento da urgência de acabar com a mais longa greve da indústria automobilística em décadas.
Cerca de 50.000 membros da UAW estão em greve há quase um mês. Eles estão sobrevivendo no pagamento da greve de $250 por semana. Enquanto isso, as perdas da GM estão aumentando, já que suas fábricas no México e no Canadá estão ociosas, e muitos de seus 10.000 fornecedores americanos lutam contra a falta de trabalho.
As negociações entre a GM e o sindicato pararam no fim de semana depois que a empresa automotiva rejeitou a última proposta de contrato do sindicato.
Depois de entrar no último fim de semana em meio a sinais de que um acordo poderia ser fechado, Dittes, principal negociador do sindicato, enviou uma carta aos membros do sindicato no domingo dizendo que as negociações tinham tomado uma "virada para pior".
O maior ponto de estrangulamento é o que acontece no México, onde a GM tem quatro fábricas que produziram mais de 800 mil carros no ano passado.
O sindicato tem insistido que a GM traga linhas de produtos do México para salvar algumas ou todas as três plantas GM onde as operações terminaram no início deste ano e uma quarta está programada para fechar no início de 2020. A empresa disse que ofereceu "soluções" para as duas fábricas de montagem em Lordstown, Ohio, e para a fábrica Hamtramck em Detroit, mas essas ofertas não foram aceitáveis para o sindicato.
A greve da GM era inevitável. Como ele vai acabar não é tão claro
A greve GM era inevitável. Como vai acabar não está tão claro
Dittes enviou outro e-mail aos membros na terça-feira citando a recusa da GM em fazer o turno. "Deixamos claro que não há segurança de emprego para nós quando produtos GM são feitos em outros países com o propósito de vendê-los aqui nos EUA", ele escreveu.
A reunião entre Barra e UAW sinaliza uma vontade renovada de chegar a um acordo. Mas os principais negociadores da UAW e da GM não se reuniram na mesa principal desde domingo, acrescentou as fontes. Os dois lados se reuniram em seus subcomitês até ontem à noite e estão se reunindo em subgrupos na quinta-feira, disse uma fonte.
A greve custou GM mais de US $ 1 bilhão de dólares, e as perdas salariais diretas para todos os empregados totalizam mais de US $ 624 milhões, de acordo com novas estimativas do Anderson Economic Group.



fonte: CNN Business

Nenhum comentário:

INSTAGRAM

COMPARTILHE