Postagem em destaque

Relatório chocante revela níveis extremos de perseguição aos cristãos na Índia

Líderes governamentais na Índia receberam recentemente um aviso severo da Comissão Americana de Liberdade Religiosa Internacional (USCI...

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Joice Hasselmann: Cai a máscara da tucana infiltrada no PSL



"Quem semeia vento, diz a razão, colhe sempre tempestade.", já dizia o grande Poetinha. Ou, como diz a minha avó: "Ninguém planta chuchu e colhe abobrinha".
Desde o começo do ano, bati muitas vezes em uma mesma "tecla": Joice Hasselmann. Todas as vezes, sem exceção, fui duramente criticado. Até de esquerdista fui chamado. De traidor, inclusive.
Invariavelmente, diziam que não era hora de desunir a direita.
Em nenhum momento a minha intenção foi desunir coisa alguma. A minha tentativa é a de DEFINIR; separar o joio do trigo. E tem muito joio.
Joice sempre teve seu lugar cativo no "centrão". Em 2014, um ano antes de ser demitida da Veja, classificou a candidatura de Bolsonaro como uma "piada". Fazia coro com seus colegas Diogo Mainardi e Reinaldo Azevedo.
Anti-petista? Sim. Direitista? Nem de longe. Conservadora? JAMAIS!
É uma oportunista. Após sua demissão, aproveitou a solidariedade da direita e se infiltrou no meio, criando diversos factoides para mostrar-se como uma "heroína", que perdeu o emprego por lutar pelo Brasil. BALELA!
Em 2018, percebendo a força do "Bolsonarismo", aliou-se àquele que, pouco antes, considerava uma piada. 70% dos seus votos, no mínimo, vieram de suas lives histéricas, após o atentado contra o presidente.
Escolhida como líder do governo no Congresso, nunca escondeu sua simpatia ao Tucanato. Durante seu breve e infeliz "casamento" com os conservadores, nunca deixou de namorar com a isentosfera.
Sua única preocupação, desde que tomou posse, foi a de promover sua própria imagem, junto aos eleitores, visando a prefeitura de São Paulo. Fez mais lives em aeroportos do que qualquer repórter do "Travel and Living Channel". Como parlamentar, é uma ótima blogueira.
Me pergunto quantas vezes, ainda, teremos de quebrar a cara, até aprendermos a não acreditar em tudo e todos.
A carência da direita, ainda bastante inexperiente, já nos fez abraçar, além da Joice, Luana Basto, Patrícia Lelis, Major Olímpio, Kim Kataguiri, Alexandre Frota, Andre Janones, Luis Miranda e uma miríade de aproveitadores e pilantras...
A fase da inocência já acabou. Se continuarmos permitindo que qualquer um nos engane e ganhe espaço em nosso meio, o movimento direitista, que ainda nem saiu das fraldas, vai morrer no berço.
Ou nos definimos, ou sucumbimos.
"As pessoas estão tão desesperadas para que alguém lhes diga o que fazer, que ouvem o primeiro idiota que aparece." (DON DRAPER - Personagem ficcional em Mad Men)
fonte: Jornal Cidade Online 

Nenhum comentário: