Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 3, 2019

Veja quem são as vítimas do incêndio no Ninho do Urubu, no Rio de Janeiro

Imagem
O Flamengo amanheceu de luto nesta sexta-feira com um trágico incêndio que atingiu o Ninho do Urubu, centro de treinamento do clube rubro- Segundo o corpo de bombeiros, 10 pessoas morreram. As informações preliminares indicavam que funcionários do  Flamengo   estavam entre as vítimas fatais, mas, na verdade, todas eram jogadores da base. Outras três pessoas ficaram feridas - uma deles em estado gravíssimo. Todos os jovens foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra. Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas  - zagueiro - 14 anos de idade  Athila Souza Paixão  - atacante - 15 anos de idade Bernardo Pisetta  - goleiro -  15 anos de idade  Christian Esmério Cândido  - goleiro - 15 anos de idade Gedson Santos (Gedinho)  - meio-campista - 14 anos de idade Jorge Eduardo Pereira Santos  - volante - 15 anos Rykelmo de Souza Vianna (Bolívia)   - meio-campista - 16 anos Pablo Henrique da Silva Matos  - zagueiro - 14 anos de idade  Samuel Thomas  - lateral-di

Incêndio no CT do Flamengo deixa 10 mortos

Imagem
Dez jovens atletas do Flamengo morreram em um incêndio em um alojamento no Ninho do Urubu, na Zona Oeste do Rio, no início da manhã desta sexta-feira (8). As chamas atingiram as instalações onde dormiam jogadores entre 14 e 17 anos que não residiam no Rio. Ainda não há identificação dos mortos. Três adolescentes ficaram feridos, um deles em estado grave, e foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra: Três adolescentes ficaram feridos, um deles em estado grave, e foram levados para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra: Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos, de Fortaleza (CE); Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos, de Fortaleza (CE); Francisco Diogo Bento Alves, 15 anos; Jonathan Cruz Ventura, 15 anos, o mais grave.

Metalúrgicos aprovam acordo para garantir investimentos na fábrica da GM em São José dos Campos

Imagem
Cerca de 90% dos trabalhadores votaram a favor da proposta feita pela GM Os trabalhadores da GM de São José dos Campos aprovaram nesta quinta-feira (7) o acordo para  flexibilização de direitos apresentada pela montadora em troca da garantia de investimentos na unidade. A empres ameaçava fechar a fábrica em quatro anos caso a proposta de redução de custos não fosse aprovada. Cerca de 4.000 trabalhadores participaram da assembleia, que teve início por volta das 14h30 --90% aprovaram a lista de 10 itens impostos pela empresa.  A fábrica de São José tem cerca de 5.000 funcionários.  “Se não aprovassem as propostas, nós íamos perder o investimento. Eles[GM] não estavam blefando. [...] Por mais que seja uma faixa salarial mais baixa, tem muita gente desempregada. E isso vai trazer tranquilidade para a família. É muito ruim você vir trabalhar e não saber o que vai acontecer”, afirma Alessandra Verecki, 40 anos, funcionaria no setor de estamparia. A proposta, que envolve outras no

GM emite Nota Oficial após assembleia

Imagem
Após seis reuniões em duas semanas de negociações,  GM e os metalúrgicos da fábrica de São José dos Campos (SP) chegaram a um acordo para reduzir custos trabalhistas na unidade. Em assembleia realizada no meio da tarde da quarta-feira, 7, cerca de 4 mil trabalhadores dos dois turnos aprovaram por maioria uma lista de 10 propostas da empresa, que segundo comunicado do sindicato local vão garantir investimentos de R$ 5 bilhões para viabilizar um novo projeto na unidade – a nova geração da picape S10 e um SUV derivado, de acordo com alguns fornecedores.  Nota oficial da General Motors A GM informa que as negociações com o sindicato e funcionários da fábrica da General Motors, em São José dos Campos, foram encerradas com sucesso. Este é mais um passo para a concretização do plano de viabilidade da GM. As tratativas com os fornecedores, governo e outros interessados continuam de forma diligente. O ACORDO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Veja as cláusulas do acordo fechado entre a GM

Entrevista com Renato Almeida, vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos

Imagem
Imagem Rede Social  Desde o começo, quando a empresa apresentou o pacote de 28 itens, nos posicionamos contra, mas sempre dissemos que a decisão seria dos trabalhadores. Depois de seis reuniões, tivemos essa proposta e hoje, com mais de 90% de participação, eles aprovaram. Acredita que haverá perdas? A questão do piso salarial, flexibilização de jornada, do ponto de vista do sindicato [a aprovação] prejudica. Por que o sindicato é contra? O sindicato é contra o plano porque a empresa passa por bom momento no mundo. No Brasil, é líder do mercado por três anos seguidos. E não deveria tirar dos trabalhadores para garantir investimentos. E os investimentos? A GM não deu detalhes sobre investimentos. Eles passaram R$ 3,5 bilhões para um novo carro aqui e R$ 1,5 bilhão para exportação. Mas não deram detalhes. Qual será o próximo passo? A assinatura do acordo está condicionada a ela investir aqui. Só vamos assinar acordo se a empresa cumprir o investimento. Vamos sentar a

GM x VW: o que a Chevrolet prepara para defender a liderança

Imagem
Marca alemã mira liderança de mercado, mas lançamentos da rival devem mantê-la no topo A disputa pela liderança do mercado brasileiro promete ser mais acirrada neste ano. Pelo que apuramos, apesar do recente anúncio de prejuízos nos últimos anos, a Chevrolet não só pretende sustentar sua posição, como ampliá-la, com uma ofensiva que inclui 11 lançamentos em 2019. Nesta semana, o presidente da Volkswagen, Pablo Di Si, falou ao  Motor1.com  que a marca mira a primeira posição de vendas no mercado nacional. Do outro lado, embora as firmes renegociações que a GM vem fazendo com fornecedores e governo possam ter sinalizado uma situação diferente, os números de emplacamentos da montadora norte-americana indicam que a disputa será mais difícil do que a alemã imagina.  No primeiro “round”, em janeiro, deu Chevrolet. A marca fechou o mês com 36.215 emplacamentos, ante 28.057 da VW, mantendo uma diferença de participação de mercado próxima da média do ano passado, 18,99% contra 14,7

GM divulga lucro global de US$ 8,1 bi, com perdas no Brasil e na Argentina

Imagem
O balanço financeiro anual da  GM  divulgado na quarta-feira, 6, aponta  lucro líquido de US$ 8,1 bilhões em 2018 , resultado 2,3% acima do apurado em 2017 – quase estável, portanto. O faturamento global somou US$ 147 bilhões, também estável (+1%) em relação ao ano anterior. O Ebit (sigla em inglês para ganhos antes de impostos e despesas financeiras) foi de US$ 11,8 bilhões, 8,3% e US$ 1 bilhão menor do que um ano antes, mas manteve a margem operacional sobre as vendas em torno de 8%.  As maiores perdas vieram das operações internacionais da companhia, fora da América do Norte, agregadas pela divisão General Motors International (GMI). Enquanto a participação societária com a Saic na China rendeu ganhos de US$ 2 bilhões e salvou o ano da GMI, a contínua desvalorização do peso argentino e real brasileiro causaram perdas de US$ 900 milhões, segundo relatório da empresa.  Com isso, a divisão internacional da GM apurou lucro antes de impostos e juros de US$ 400 milhões em 2018, em qued

Mídia do vale de hoje - "G1 Vale" - Trabalhadores da GM votam nesta quarta proposta de reestruturação

Imagem
Proposta com dez medidas precisa ser aprovada por trabalhadores e vai ser votada em assembleia nesta quarta-feira (6). A pauta de exigências é contrapartida para novos investimentos na planta. A proposta para o plano de reestruturação da General Motors, dona da Chevrolet, prevê redução do piso salarial, congelamento de salários e fim da estabilidade para lesionados na fábrica de São José dos Campos (SP). A pauta conta com dez medidas e vai ser votada em assembleia nesta quarta-feira (6). A lista de exigências é contrapartida para novos investimentos na planta. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, os termos da proposta para a unidade foram definidos em reunião em Guarulhos nesta segunda-feira (4).  Foram seis rodadas de negociação após a montadora apresentar uma lista com 28 exigências . Entre os principais itens da proposta estão a redução do piso salarial, que cairia de R$ 2,2 mil para R$ 1,7 mil, congelamento dos salários em 2019, com pagamento de abono de R$ 2,5 mil

Mídia do Vale de hoje' - "O Vale"- Dia D': trabalhador vota pacote da GM para fábrica de São José

Imagem
  Montadora reduz piso salarial para R$ 1.700, corta PLR e adicional noturno e quer aumento zero na fábrica de São José; trabalhadores decidirão nesta quarta; GM quer aprovação completa de pacote com 10 propostas para fazer novo carro na unidade. Após seis reuniões entre a GM (General Motors) e o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, as 28 propostas da montadora foram reduzidas para 10, que serão levadas para assembleia com os trabalhadores da fábrica, nesta quarta-feira. A GM quer a aprovação integral do pacote para viabilizar um novo projeto de veículo na fábrica de São José, que poderia fechar sem novos investimentos. O piso salarial de R$ 1.600 proposto em janeiro pela GM subiu para R$ 1.700 para os novos contratados, mas representa um corte ante o piso atual de R$ 2.300. O piso seria reajustado até 2020. A empresa, que pedia o fim da estabilidade para lesionados, voltou atrás e manteve a garantia de emprego. Aos novos contratados, ela quer aplicar a

AJUDE À MANTER NOSSO CANAL

AJUDE À MANTER NOSSO CANAL
Sua colaboração é importante para que nosso trabalho continue, faça sua doação, aponte a câmara do seu celular para QR CODE.