sábado, 1 de agosto de 2020

Dez anos depois da morte de Eliza Samúdio, goleiro Bruno, Bola e Macarrão estão fora da cadeia

Eliza Samudio foi morta em 2010 e o corpo ainda não foi encontrado. — Foto: Reprodução/GloboNews

No dia 10 de junho de 2010, a modelo Eliza Samúdio, ex-namorada e mãe de um dos filhos do goleiro Bruno Fernandes, foi morta por esganadura na Rua Araruama, em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. É o que aponta a certidão de óbito emitida pelo Cartório do Registro Civil da cidade.

O endereço é o da casa do réu Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, condenado em 2013, a 22 anos de prisão pela morte dela e pela ocultação do cadáver. Dez anos depois do assassinato, ele cumpre a pena em regime semiaberto na Casa de Custódia da Polícia Civil, que fica no Bairro Horto, em Belo Horizonte. No dia 18 de março, o ex-policial civil conseguiu o direito de ir para a prisão domiciliar por causa do novo coronavírus.

Certidão de óbito de Eliza Samudio — Foto: Reprodução

De acordo com a Justiça, em 2010, Eliza foi levada à força do Rio de Janeiro por Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, amigo de Bruno, para um sítio do goleiro, em Esmeraldas (MG), onde foi mantida em cárcere privado. Ele foi condenado em novembro de 2012 a 15 anos de prisão em regime fechado por homicídio triplamente qualificado – motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, a modelo Eliza Samudio – e mais três anos em regime aberto por sequestro e cárcere privado.

Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão — Foto: Augusto Medeiros/G1

Em outubro de 2018, Macarrão obteve liberdade condicional após assinatura de um acordo com a Justiça em Pará de Minas, onde cumpria pena. Em março daquele ano, ele já tinha conquistado progressão para o regime aberto. A Justiça havia considerado que ele já possuía os requisitos necessários, como cumprimento de tempo e bom comportamento, para deixar o semiaberto.

Bruno, Bola e Macarrão


  • Bruno Fernandes cumpre pena domiciliar em Cabo Frio (RJ)
  • Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, cumpre prisão domiciliar por causa da pandemia do coronavírus
  • Luiz Henrique Romão, o Macarrão, obteve liberdade condicional e está em Pará de Minas

De volta aos treinos


Depois de ter sido mantida em cárcere privado, Eliza foi levada para a casa de Bola e desapareceu. Em 2013, Bruno Fernandes de Souza foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato e ocultação do cadáver, e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho. Dez anos depois do assassinato da ex-namorada, Bruno está em Arraial do Cabo, no litoral fluminense, onde cumpre prisão domiciliar. Em abril deste ano, ele recebeu autorização da Justiça para morar na cidade. Em julho de 2019, Bruno saiu da cadeia em Varginha, no Sul de Minas, após conseguir progressão para o regime semiaberto.Hoje ele segue treinando na cidade fluminense e a expectativa é que retorne ao futebol assim que o Campeonato Carioca for retomado.
O corpo de Eliza Samúdio nunca foi encontrado. As buscas foram encerradas em 2014.

Outros envolvidos


Elenilson da Silva e Wemerson Marques – o Coxinha – foram condenados por sequestro e cárcere privado do filho de Elisa Samúdio em 2013.


Elenilson foi condenado a 3 anos em regime aberto e Wemerson a dois anos e meio também em regime aberto.


fonte: G1/Minas Gerais

Nenhum comentário:

Arquivo do blog