Com salário de quase R$ 34 mil reais, em ano de "home office", deputados receberam R$ 6,6 milhões em auxílio-moradia

O ano foi de pandemia e os deputados federais no Brasil trabalharam em home office devido ao isolamento social adotado nos meses mais intensos da contaminação pelo coronavírus. Mas, apesar disso, os parlamentares não deixaram de receber auxílio-moradia, que é um benefício entregue para eles estarem em Brasília.

O valor não é nada baixo: até R$ 4.253,00 reais por mês a cada um dos 513 deputados, com raros 34 políticos que dispensaram o auxílio. Mesmo assim, rendeu um gasto de R$ 6,6 milhões aos cofres públicos, até dezembro deste ano.

Fora isso, inacreditavelmente, a Câmara ainda mantém uma gigantesca estrutura de 432 apartamentos funcionais. Alguns interditados para reforma. Mas, a maior parte dos imóveis disponíveis, quase 90% deles estão ocupados.

Desses 513 deputados, 64 recebem em dinheiro o valor para bancar o aluguel da moradia em Brasília e 104 usam o sistema de reembolso de despesas.

Lembrando que o salário mensal dos parlamentares é de R$ 33.763,00. Além disso, eles têm uma cota para o exercício da atividade em Brasília, que varia de R$ 30.788,66 a R$ 45.612,53; verba destinada à contratação de pessoal para o gabinete no valor de R$ 106.866,59; reembolso total das despesas médico-hospitalares fora do Departamento Médico da Câmara (Demed); cota gráfica; ajuda de custo igual à remuneração ao fim do mandato e aposentadoria com proventos proporcionais ao tempo de mandato.

Com informações Jornal da Cidade online

Comentários

MAIS LIDAS

Gratidão, Presidente!

Duas histórias degradantes