Mesmo fechada, Havan tem loja interditada em atitude de prefeita 'a favor do caos, do desemprego e contra o povo'

 

No último sábado (12), a unidade das Lojas Havan em Pelotas, foi interditada pela Guarda Municipal, mesmo estando fechada.

A situação, no mínimo inusitada, teve início na quarta-feira (09), quando a Prefeitura de Pelotas decretou que todas as lojas teriam que permanecer fechadas a partir das 19h de quinta-feira (10), até as 6h da terça-feira (15).

Em contrapartida, o Sindicato dos Lojistas do Comércio de Pelotas (Sindilojas Pelotas), organizou um protesto na sexta-feira (11), contra a decisão da prefeita Paula Mascarenhas.

Luciano Hang, dono das lojas Havan, participou do evento.

No mesmo dia, Hang conseguiu uma liminar que permitia que a Havan continuasse em funcionamento. Porém, na madrugada de sábado (12), a prefeitura conseguiu uma decisão judicial para manter a unidade fechada.

Já no início da manhã, a força policial foi usada para interditar o estabelecimento, mesmo estando fechado.

“Mesmo estando fechados, um aparato da Guarda Municipal causou aglomeração em nossa loja, abordou pessoas que estavam no estacionamento e lacraram o nosso estabelecimento. Vale ressaltar que a loja estava fechada! A única resposta que tenho para essas medidas tão absurdas é que estão nos perseguindo”, protestou Hang.

Em uma publicação de repúdio contra a postura do poder Municipal, Hang ainda disse:

“É lamentável ver o Poder Público agindo contra os empregos e quem quer trabalhar. Deveriam estar buscando soluções para os problemas da saúde, com mais enfermarias, leitos de UTI e profissionais. Aliás, ganharam R$ 46 milhões do Governo Federal para isso. Mas não, parece que jogam em favor do caos, do desemprego e contra o povo”, completou o empresário.


fonte: Jornal da Cidade online 

 

Comentários

MAIS LIDAS

Gratidão, Presidente!

Duas histórias degradantes