Para a OMS vacinação deve ser facultativa, e a melhor solução é o diálogo

 

Nesta segunda-feira (07), membros da diretoria da Organização Mundial de Saúde (OMS), se posicionaram contra a obrigatoriedade da vacina para a Covid-19, em uma entrevista coletiva.

A diretora-assistente da OMS, a médica brasileira Mariângela Simão disse que o diálogo é a melhor solução:

“Precisamos trazer as pessoas nessa jornada, conversar, convencer e dialogar”, explica Simão.

Na mesma linha foi a declaração da diretora de vacinas da entidade, Kate O’Brien, que lembrou que o melhor caminha é sempre a informação, e que o desconhecimento pode fazer com que as pessoas não se interessem pelo imunizante:

“Uma vacina presa na geladeira não tem benefício. As questões são legítimas e queremos que as pessoas estejam bem informadas sobre a ciência e as evidências. Uma das ações para isso é que a fonte da notícia seja confiável”, completou O’Brien.

As declarações devem ter deixado alguns obrigacionistas, com João Doria, de ‘cabelos em pé’, já que eles vêm tentando de todas as maneiras, inclusive judicialmente, tornar a vacinação obrigatória. Doria chegou a anunciar que a vacinação terá início em 25 de janeiro em São Paulo, mesmo sem nenhum imunizante ter conseguido, ainda, a aprovação da Anvisa.

A OMS continua com o posicionamento que defende a vacinação facultativa e destaca que os imunizantes precisarão ter a eficácia comprovada antes da aprovação. Uma postura muito parecida com a adotada pelo presidente Jair Bolsonaro...

fonte: Jornal da Cidade online

Comentários

MAIS LIDAS

Gratidão, Presidente!

Duas histórias degradantes

O estapafúrdio contrato “ultraconfidencial” entre o Butantan e a Sinovac, que não especifica valor entre as partes