Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março 15, 2020

Decreto de Prefeito manda fechar lojas em Taubate,SP

Decreto determina fechamento do comércio em Taubaté A Prefeitura de Taubaté publicou nesta quinta-feira (19) um decreto que suspende o funcionamento do comércio e também o atendimento ao público na sede do poder executivo por prevenção à propagação do coronavírus. A medida vale de 20 de março a 5 de abril. Ficam proibidos de funcionar: shoppings, espaços de festa, casas noturnas e camelódromo. Ficam de fora da restrição  estabelecimentos de serviços essenciais, como farmácias, supermercados, açougues, quitandas, lojas de conveniência, distribuidoras de gás e água. O Sindicato do Comércio Varejista (Sincovat) repassou o decreto aos comerciantes. Sincovat - Sindicato do Comércio Varejista de Taubaté e Região há 14 horas URGENTE - Prefeitura de Taubaté suspende atendimento ao público e FECHA COMÉRCIO da cidade. A Prefeitura de Taubaté publicou nesta quinta-feira (19) um decreto que suspende o atendimento ao público na sede do poder executivo por pre

GM vai paralisar toda a produção no Brasil e dar férias a mais de 15.000

A General Motors – líder de vendas de veículos leves no mercado nacional com a marca Chevrolet – anunciou que dará férias coletivas para todos os seus funcionários do Brasil a partir de 30 de março. O anúncio foi feito por meio de comunicado nesta quarta-feira (18). Embora o fabricante não divulgue o número exato de funcionários no Brasil (são 19.000 em toda a América Latina), QUATRO RODAS calcula que pelo menos 15.000 pessoas serão afetadas: cerca de 8.000 em São Caetano, 5.000 em Gravataí e 4.000 em São José. De acordo com a nota, a medida tem como objetivo “ajustar a produção à demanda”, já que a pandemia do novo coronavírus deve prejudicar toda a cadeia de consumo. Dessa forma, as fábricas de São José dos Campos, Mogi das Cruzes, São Caetano do Sul (SP), Gravataí (RS) e Joinville (SC) ficarão paradas entre 30 de março e 12 de abril, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos. Ainda nesta quarta, a Mercedes-Benz do Brasil também anunciou férias para todo

VÍDEO: Jornalista tenta ‘jogar’ Trump contra Bolsonaro; veja a resposta dele

Conforme noticiado pelo Conexão Política, o presidente norte-americano, Donald Trump, concedeu uma entrevista nesta quinta-feira (19) para falar sobre os últimos relatos do Covid-19 no país. Ele foi questionado pela jornalista Raquel Krähenbühl, da GloboNews, sobre a atitude do presidente Jair Bolsonaro em cumprimentar apoiadores no último domingo, 15. Como é de conhecimento, as mídias brasileiras e internacionais tentavam emplacar a narrativa de que o presidente brasileiro estaria infectado pelo Covid-19. Todavia, Bolsonaro já tinha sido submetido a exames anteriormente, que testaram negativo. Ainda assim, a mídia classificava o gesto do presidente como uma ameaça. pós o ato do dia 15, o mandatário brasileiro foi encaminhado para uma nova avaliação em Brasília, onde testou negativo pela  segunda vez.  Assista à resposta do presidente norte-americano: fonte: Conexão Política

Vídeos registram PM de SC fechando estabelecimentos após decreto para conter o Coronavírus (veja os vídeos)

O Governo de Santa Catarina (SC) decretou situação de emergência devido ao avanço da pandemia de coronavírus no estado. Dentre o conjunto de medidas que entraram em vigor nesta quarta-feira, 18, estão suspensos os serviços públicos e privados considerados "não essenciais". A entrada de novos hóspedes no setor hoteleiro, a circulação de veículos de transporte coletivo urbano municipal, intermunicipal e interestadual, as consultas ambulatoriais e os exames eletivos estão todos suspensos. No documento, há uma especificação para seguirem abertos serviços essenciais como farmácias, supermercados, unidades de saúde, postos de combustíveis, funerárias, distribuidoras de água, gás e energia, clínicas veterinárias de emergência, serviços de telecomunicações, órgãos de imprensa, serviços de segurança privada e a coleta de lixo. Comércios como lojas, outlets, bares, entre outros não considerado essenciais estão proibidos de abrir. Entretanto, alguns comerciantes decidiram n

Pânico por coronavírus faz clientes trocarem socos em disputa por papel higiênico em supermercado

O  medo da escassez de papel higiênico em meio à crise provocada pelo avanço do coronavírus  produziu uma cena bizarra em um supermercado de Farnborough (Inglaterra). Muitos clientes estão comprando grande quantidade de papel higiênico, acreditando que poderão ficar sem sair de casa por vários dias. Esse pânico levou  três mulheres a trocarem socos no supermercado . Assista abaixo : Bold_Westie @_West_Sydney_  ·  7 de mar de 2020 Respondendo a @_West_Sydney_ Lmaoooooooo round 2 Bold_Westie @_West_Sydney_ Full version 1.396 03:34 - 7 de mar de 2020 Informações e privacidade no Twitter Ads 761 pessoas estão falando sobre isso A disputa pelo produto de higiene não é exclusividade da Inglaterra. Em várias regiões da Austrália, as gôndolas que abrigavam rolos de papel higiênico estão vazias. Em um supermercado de Sydney, a maior cidade do país,  um clien

O que ele fez de errado?

Um mau comportamento indo ao encontro da multidão no domingo? Está certo, poderia e deveria ser evitado. Mas isso ou alguma outra atitude coloca em risco a governabilidade ou expõe o país à falência? A grande mídia e a camarilha de sempre, baba de ódio e acusa Bolsonaro de irresponsabilidade e quer derrubá-lo. Já o Papa, que fez o mesmo e foi abraçar fiéis na Praça de São Pedro, para essa mesma matilha, fez “um gesto humanitário”. Com esses argumentos, não vão conseguir desestruturar um governo com base social sólida, atenta e participativa. E o governo, por sua vez, tem que parar de entrar nesse debate estéril feito por latido de cachorros loucos do lado de lá da cerca. O que está acontecendo é exatamente o seguinte: até 2018 tínhamos o "presidencialismo de coalizão", ou seja, a institucionalização do toma lá dá cá, com o loteamento e a partilha do botim do erário com caciques e Partidos Políticos com livre acesso direto ao dinheiro para manter seus currais, se

(Leia até o final) "Eu compreendo quem odeia Bolsonaro!"

EU COMPREENDO QUEM ODEIA BOLSONARO! Eu confesso que também já tive o preconceito que me impedia de conhecê-lo! Assim que seu nome surgiu como forte candidato eu pensei: "Sério? Como alguém pode apoiar um cara desses?" Mas eu sempre admito minhas ignorâncias e resolvi tentar entender porque tantos pensavam diferente de mim...TALVEZ eu pudesse estar enganada! Afinal, eu só conhecia o cara pelo que diziam dele. Nunca tinha parado para escutá-lo de verdade. E arrogância é o que impede o conhecimento mais amplo! Passei dias e horas pesquisando sobre o REAL Bolsonaro (dá um trabalho da porra vasculhar verdades no meio dessa guerra de tronos incentivada por muita manipulação) e comecei a entender o pânico que os cara que a vida inteira se deram bem às custas do dinheiro do povo, estavam sentindo. Não era a toa que estavam querendo nos fazer acreditar que ele era racista, homofóbico, racista e preconceituoso... A cada dia fui me surpreendendo e como todos sabem - algu

CNN Brasil, Caio Coppolla defende governo Bolsonaro e relembra que Congresso brasileiro era comprado

Nesta segunda-feira, 16, o analista político Caio Coppolla estreou na CNN Brasil. Caio, que saiu recentemente da Jovem Pan, ficará responsável por apresentar o quadro ‘Grande Debate’, em que falará sobre vários temas polêmicos, que envolvem, inclusive, posicionamentos políticos abertamente. Logo na estreia, ele elogiou o governo Bolsonaro e teceu fortes críticas ao Congresso. Para Caio, parlamentares que buscam continuamente enfraquecer o governo, na verdade é reflexo da quebra de paradigmas da velha política. Ainda segundo ele, tudo no Brasil era comprado — o que impedia a autonomia dos Poderes. “ Os poderes da república devem ser independentes e harmônicos entre si. Essa é a expressão do texto constitucional. Só que até 2019, o Congresso brasileiro não era independente, porque o congresso era comprado. Comprado com liberação de verba pública, comprado com liberação de cargos, loteamento de ministérios, financiamento de campanhas eleitorais e até com propina. Tá aí o

O oportunismo - Gente indecente que usa a desgraça para dar vazão ao que há de pior dentro delas

O oportunismo no Brasil precisa ser contido: Gente indecente que usa a desgraça para dar vazão ao que há de pior dentro delas O execrável oportunismo Existe uma coisa muito pior que a propagação de um vírus, que uma guerra ou que uma catástrofe: O OPORTUNISMO. Eu falo do oportunismo de gente indecente, descarada, malandra que definitivamente usa as desgraças como canais para dar vazão ao que há de pior dentro delas Não há um ranking para classificarmos essa gente, pois se assim fosse, estaríamos validando o "menos pior", quando o mal é o mal em sua essência e não como classificá-lo. Logo a ordem dos que aparecerão aqui não torna um melhor que o outro. Vamos começar pelos jornalistas que usam do sensacionalismo barato ou do viés ideológico para destilar seus venenos e potencializar os males que as próprias desgraças já trazem. Essa gente imunda não tem limites e parecem desprezar completamente os sofrimentos alheios. Emissoras de televisão como a Rede Globo, jo

"Brasil em calamidade pública: como a medida facilita a reação do governo na economia"

"Ao pedir o reconhecimento do estado de calamidade pública, o governo busca facilitar a reação da economia frente à crise gerada pelo novo coronavírus. A União não precisará mais cumprir a meta fiscal prevista para este ano, que era de um rombo de até R$ 124,1 bilhões nas contas públicas. E, sem essa obrigação, o governo federal não terá mais a necessidade de contingenciar (bloquear) dezenas de bilhões de reais do Orçamento. Na semana passada, a Instituição Fiscal Independente (IFI) estimava que seria necessário um bloqueio de até R$ 37 bilhões, já que as receitas previstas para este ano foram superestimadas durante a definição do Orçamento. Com a crise gerada pela pandemia do coronavírus, o contingenciamento poderia ficar ainda maior, pois o governo precisará gastar mais para combater o vírus e diminuir os seus efeitos na economia. Um contingenciamento dessa magnitude inviabilizaria o funcionamento da máquina pública, justamente num momento em que o governo precisa de mais