Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio 17, 2020

Após divulgação do vídeo, a campanha #BolsonaroReeleito impressiona no twitter

A campanha #BolsonaroReeleito subiu para os assuntos mais comentados na rede social twitter no Brasil. A hashtag de apoio já conta (20:20) com 235.000 tweets. O motivo é a divulgação, pelo STF, de um vídeo do dia 22 de abril, que serviu de base para inquérito que investiga as denúncias de Sergio Moro contra Bolsonaro. A jurista Janaína Paschoal, desafeto do presidente,  admitiu que o vídeo  é positivo a Bolsonaro. Os internautas apoiadores de Bolsonaro tem postado trechos dos vídeo, elogios a Bolsonaro e aos ministros, além de memes ironizando adversários e ministros do STF. Veja alguns tweets da campanha: Fabiana Barroso @fabifbbr Orgulho do meu Presidente Bolsonaro @ jairbolsonaro # BolsonaroReeleito 1.465 20:12 - 22 de mai de 2020 Informações e privacidade no Twitter Ads 542 pessoas estão falando sobre isso Bolsonaro Tem Razão @bolsonaroecia # BolsonaroReeleito Hoj

AO VIVO - #Edson & Hudson - Amor + Boteco - 23/05/2020

fonte:  Edson & Hudson

Bolsonaro sugere mais duas parcelas do auxílio-emergencial

“Conversei com o Paulo Guedes. Vamos ter que dar uma amortecida. Vai ter quarta parcela, mas não de R$ 600”, diz Bolsonaro. O presidente da República,  Jair Bolsonaro , admitiu, nesta sexta-feira (22), a possibilidade de que o auxílio emergencial para desempregado e autônomos seja prorrogado. De acordo com Bolsonaro, o governo federal deve repassar ainda mais duas parcelas do benefício, com um valor inferior a  R$ 600 . Durante  entrevista ¹  à rádio paulista, o chefe do Executivo destacou que as parcelas seriam importantes “para ver se a economia pega”: “Conversei com o Paulo Guedes. Vamos ter que dar uma amortecida. Vai ter quarta parcela, mas não de R$ 600. Não sei quanto vai ser, R$ 300, R$ 400. E talvez a quinta. Talvez seja R$ 300, R$ 200. Até para ver se a economia pega. Não podemos jogar para o espaço mais de R$ 110 bilhões que foram gastos agora dessa forma. Isso vai impactar nossa dívida no Tesouro, e para ver se a economia pega.” Bolsonaro também  reclamou ²

China força professores cristãos a renunciar à fé para que alunos sejam doutrinados segundo o comunismo

No esforço contínuo do governo comunista chinês para esmagar o cristianismo dentro de suas fronteiras, os professores na China agora estão sendo instruídos a renunciar à fé ou enfrentar as consequências. O site  Bitter Winter  relatou que esse movimento começou no país comunista logo após o ditador Xi Jinping salientar em uma conferência nacional de educação que a tarefa fundamental da educação é treinar construtores e sucessores do socialismo. Desde o discurso de Xi há quase dois anos, a pressão sobre os professores para doutrinar os alunos vem aumentando. Um exemplo é uma professora de jardim de infância, membro da Igreja Católica estatal, que disse ao site que tinha medo de ir à igreja por causa da crescente pressão que estava recebendo da administração da escola. Ela disse ao Bitter Winter que é constantemente ameaçada para desistir de sua fé nos últimos sete meses. Ela disse que recebeu críticas de seus superiores, que incluem comentários como “alguns professores continuam

AO VIVO - #Simone e Simaria - Live das Coleguinhas

fonte;  Simone e Simaria 

Ministro da Defesa diz que Forças Armadas concordam com a nota de Heleno

O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, disse à CNN que as  Forças Armadas concordaram  com a nota divulgada ontem por Augusto Heleno. Em comunicado, o General Heleno  afirmou que uma eventual apreensão  do celular de Jair Bolsonaro “poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”. O Ministro do STF, Celso de Mello negou que tenha pedido a apreensão do celular, só enviou – como é rotina – o pedido para a PGR analisar. “O MD [Ministério da Defesa] teve conhecimento que o Gen. Heleno iria soltar a nota e concordou com a emissão, tendo em vista que o celular do PR [presidente da República] é um assunto de segurança institucional”, disse o General Azevedo e Silva. “A simples ilação da apreensão do celular do Presidente da República, na visão dele, é absurda. Afronta a segurança institucional. O Ministério da Defesa está extremamente preocupado com a tensão entre os poderes.” O Presidente da República ressaltou que caso haja tal ordem do ST

Sergio Moro dá tiro no pé e vídeo da reunião fortalece Bolsonaro e sua equipe de ministros

A expectativa negativa ventilada pela imprensa com o vazamento de alguns trechos da reunião ministerial que ainda estava para ser divulgada formalizou um ambiente de hostilidade e pessimismo sobre a manutenção da  popularidade do governo, condicionando que todos da oposição e isentões que pularam do barco a apostar todas as fichas na divulgação integral do vídeo como um meio de derrubar a popularidade do presidente com a possibilidade de exposição de um suposto indício de interferência nas operações da PF. O resultado, assim como os prints divulgados por Moro, não passou de uma grande frustração para os opositores do governo. O único trecho exposto no vídeo divulgado pelo STF em que Bolsonaro fala sobre segurança não aponta nenhuma intenção do presidente em gerar quaisquer interferências arbitrárias em cima da Polícia Federal, apenas uma queixa sobre a ineficácia de exposição de relatórios de inteligência, exigência essa legítima e prerrogativa legal da Presidência da Repúbli

Zambelli vai à forra contra o Moro

Nada como um dia após o outro... Carla Zambelli deu o troco em seu padrinho de casamento. Com a revelação do vídeo da reunião presidencial de 22 de abril, a última do governo com a participação de Sérgio Moro, o Brasil viu que as ‘denúncias’ do ex-ministro são infundadas e, da mesma forma constatou que o presidente Jair Bolsonaro é realmente um grande patriota, extremamente preocupado com o povo brasileiro. Moro, atordoado e descompensado, com o orgulho ferido porque naquela reunião foi “chamado nas chinchas”, fez o que fez, perdeu a cabeça, a decência e a responsabilidade. Com Zambelli, a afilhada, não teve a mínima consideração. Nesta sexta-feira (22), após a divulgação do vídeo, Moro, hoje o minúsculo Moro, divulgou a seguinte mensagem: “A verdade foi dita, exposta em vídeo, mensagens, depoimentos e comprovada com fatos posteriores, como a demissão do DIretor Geral da PF e a troca na superintendência do RJ. Quanto a outros temas exibidos no vídeo, cada um pode fazer

VÍDEO: assista à ÍNTEGRA da reunião ministerial do dia 22 de abril

Presidente afirmou que não há ‘nenhum indício de interferência na Polícia Federal’ em gravação. O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu hoje (22) retirar o sigilo parcial da gravação audiovisual da reunião ministerial realizada no dia 22 de abril. Pela decisão, somente a parte da reunião que envolveu discussões sobre outros países não será divulgada. O ministro é relator do inquérito sobre a suposta interferência política do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal (PF). A reunião foi citada pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro durante depoimento prestado à PF, no início do mês, como suposta prova da interferência. Na semana passada, antes da decisão do ministro Celso de Mello, o procurador-geral da República, Augusto Aras, defendeu no STF a divulgação somente das falas do presidente relacionadas com a investigação. No parecer, Aras afirmou que a divulgação da íntegra da reunião ministerial contraria regras e prin