PEÑAROL X CORINTHIANS

Médico paraibano que havia tomado primeira dose da vacina Coronavac morre de Covid-19

 


Relatos falam de reações adversas como dor de cabeça e febre em pessoas que tomaram a Coronavac e a vacina de Oxford.

O médico cirurgião, Fernando Ramalho, de 63 anos, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) na última sexta-feira (13), em decorrência da infecção por Covid-19, segundo informou hospital Unimed João Pessoa, onde estava internado desde o início de fevereiro. Fernando Ramalho era cirurgião-geral no Hospital da Unimed, em João Pessoa e diretor-geral do Hospital Santa Isabel.

Segundo a Prefeitura Municipal de João Pessoa, o médico havia tomado a primeira dose da vacina Coronavac – desenvolvida pelo Instituto Butantan – no mês de janeiro. Apesar de ser diagnosticado com Covid-19 poucos dias após tomar a vacina, autoridades médicas da Paraíba descartam relação da vacina com a contaminação do vírus.

Segundo o portal ClickPB, a Secretaria de Saúde da Paraíba informou que a resposta da vacina é de 21 dias e que mesmo após a imunização é necessário continuar usando máscara e mantendo o distanciamento social para evitar a contaminação pelo vírus chinês. Já a Secretaria de Estado da Saúde informou que “as vacinas contra Covid-19 têm esquema de duas doses. Portanto, ele (Fernando Ramalho) não tomou o esquema completo. A vacina não evita a doença, evita a forma grave da doença, internação e morte”. A SES reforçou que se o médico “testou positivo depois de tomar a vacina, pode ter tido contato com o vírus 15 dias antes.”

O portal ClickPB também relatou o aparecimento de reações adversas como dor de cabeça e febre em pessoas que tomaram a Coronavac e a vacina de Oxford. Ao ClickPB, o chefe de imunização da capital, Fernando Virgolino disse que, até o momento, não havia registrado reações graves às duas vacinas aplicadas em 42.658 paraibanos, segundo contagem registrada até o dia 2 de fevereiro. Esta declaração do chefe de imunização ocorreu no dia 4 de fevereiro, nove dias antes da morte do médico Fernando Ramalho.

Informações: ClickPB, PMJP

Por Diógenes Freire

Com informações: Estudo Nacional.com

Comentários

MAIS LIDAS

Gratidão, Presidente!

Duas histórias degradantes

O estapafúrdio contrato “ultraconfidencial” entre o Butantan e a Sinovac, que não especifica valor entre as partes