Jornalista revela como a mudança nas Forças Armadas frustrou a esquerda e Bolsonaro

 

Gustavo Victorino, um dos grandes jornalistas da atualidade, marcou presença na TV Jornal da Cidade Online e comentou que o presidente Bolsonaro vem aturando ataques diários, 24 horas por dia, dos veículos de comunicação, mas, mesmo assim, se mantém fiel à democracia.

Victorino revelou que o próprio Bolsonaro lhe telefonou e afirmou, categórico:

“Eu não vou abrir mão da democracia. O Brasil não vai abrir mão da democracia. Nós vamos jogar o jogo democrático, mas dentro das quatro linhas, não vai ter complô de bastidores, nada disso”, disse o presidente. Victorino comentou ainda sobre a mudança no comando das Forças Armadas e como isso frustrou a extrema esquerda:
“Quando Bolsonaro assumiu, escolheu Fernando Azevedo para ministro da Defesa, por sua ligação com o STF, mais precisamente por ter trabalhado com o ministro Toffoli. Ele entendia que esse militar seria um interlocutor interessante entre o STF e o Executivo. Mas, ao longo do tempo, houve uma inversão de valores. Tentaram, utilizando esse general, manter o silêncio dos militares. Os militares foram agredidos vários vezes por ministros do STF, fazendo declarações sobre o regime militar, chamando de brutalidade... e o silêncio dos militares irritou o presidente Bolsonaro, que viu isso como uma ameaça de dentro para fora”, explicou o jornalista.

Confira:

Com informações: Jornal da Cidade online

Comentários

MAIS LIDAS

Gratidão, Presidente!

Duas histórias degradantes