PEÑAROL X CORINTHIANS

Salim Mattar critica Fernández por obrigar montadoras a produzir em capacidade máxima

 


"Controlar os meios de produção é típico de governos socialistas", escreveu o empresário nas redes sociais

O empresário Salim Mattar, ex-secretário de Desestatização do governo federal, criticou neste domingo, 18, a decisão do presidente da Argentina, Alberto Fernández, de obrigar as montadoras do país a continur produzindo com capacidade máxima em meio à pandemia.

“Governo de esquerda argentino quer forçar montadoras a produzirem mais carros em período de pandemia que gera falta de peças e aumento no custo dos insumos”, escreveu Mattar nas redes sociais. “Controlar os meios de produção é típico de governos socialistas”.

A medida do governo argentino foi publicada em 9 de abril e determina que “grandes empresas do setores de comércio e indústria fabriquem, distribuam e comercializem o máximo de sua capacidade instalada enquanto durar a emergência sanitária causada pela covid-19”.

Segundo a Secretaria de Comércio Interior, a ordem busca “prevenir […] uma redução injustificada da oferta de produtos para o mercado interno” e vale para todas as companhias que faturem mais que R$ 244,57 milhões, na conversão. Na prática, isso abrange todas as grandes montadoras de automóveis.


Com informações: Revista Oeste

Comentários

MAIS LIDAS

Gratidão, Presidente!

Duas histórias degradantes

O estapafúrdio contrato “ultraconfidencial” entre o Butantan e a Sinovac, que não especifica valor entre as partes