terça-feira, 24 de julho de 2018

Vereadores pagaram até R$ 424 por refeições e comeram 4,4 quilos de uma só vez

Resultado de imagem para prato cheio comida por kilo 4

Vereadores ‘comeram’ até 4,4 quilos de uma só vez e refeições de até R$ 424
24 de julho de 2018

Em outra artimanha detectada no caso da ‘Farra das Viagens’, vereadores apresentavam notas fiscais de pratos com valores bem acima do razoável ou com consumo alegado de uma quantidade improvável de comida


Além do esquema de apresentar notas fiscais com despesas de refeições de mais de uma pessoa, como foi revelado na edição do jornal do último fim de semana, a ‘Farra das Viagens’ na Câmara de Taubaté também é marcada por outra artimanha: pratos com valores bem acima do razoável ou consumo alegado de uma quantidade improvável de comida.
Dos 89 relatórios de viagens analisados pela reportagem – todos do período de janeiro a maio de 2017 –, em 23 deles foram detectadas notas fiscais com pratos com valores superiores a R$ 75 ou com registro do consumo de mais de dois quilos de comida.
Segundo a ABBT (Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador), por exemplo, o preço médio de uma refeição completa em São José dos Campos é de R$ 27,19. Na capital, que é o principal destino de viagens oficiais, esse valor é de R$ 34,33.
Ou seja, ou os vereadores pediram pratos caros e pagaram com dinheiro público ou as notas mascaram despesas de diversas pessoas.
Essa prática atinge nove vereadores no período. Sete deles já haviam sido citados no esquema de apresentar notas com refeições de mais de uma pessoa: Jessé Silva (SD), Douglas Carbonne (PCdoB), Diego Fonseca (PSDB), Vivi da Rádio (PSC), Bobi (PV), Gorete Toledo (DEM) e Dentinho (PV). Os outros dois aparecem pela primeira vez na ‘Farra das Viagens’: Alexandre Villela (PTB) e Graça (PSD).
VALORES/ Jessé Silva é, novamente, o ‘campeão’ de registros suspeitos: são seis. Em uma viagem a Campos do Jordão, por exemplo, o vereador apresentou uma nota de refeição de R$ 424,08, acima do limite máximo para reembolso, que era de R$ 275,73 naquele ano – nesses casos, o valor excedido não é ressarcido.
Em um restaurante de São José com o quilo a R$ 100, Jessé disse ter comido, em duas ocasiões, 2,58 quilos e 2,36 quilos, pagando R$ 258 e R$ 236, respectivamente. Em São Sebastião, o recorde: uma nota de 4,477 quilos, somando R$ 223,40.
Carbonne tem quatro registros, sendo um deles de R$ 306,46. Vivi, também com quatro registros, chegou a apresentar uma nota de R$ 169.
Gorete teve três registros, sendo o maior de R$ 129,80. O presidente da Câmara, Diego Fonseca, teve dois registros: em um deles, disse ter comido três quilos em um rodízio; em outro, uma refeição de R$ 201,62.
Com um registro aparecem Alexandre Villela (R$ 239), Bobi (R$ 117,72), Dentinho (R$ 83) e Graça (R$ 190,70).
Leia também:

fonte: Gazeta de Taubaté

Nenhum comentário:

COMPARTILHE