Postagem em destaque

Atirador mata 4 e comete suicídio em catedral de Campinas (SP)

Tiros deixam mortos e feridos em catedral no centro de Campinas, em SP Divulgação Um atirador abriu fogo em uma catedral em Campinas...

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Ataque na Catedral: veja quem são as pessoas mortas pelo atirador de Campinas

Resultado de imagem para veja quem são as pessoas mortas pelo atirador de Campinas


 Atirador mata quatro na Catedral de Campinas (SP) e se mata; veja imagens

Foram identificadas as quatro pessoas mortas por um atirador na Catedral de Campinas 
(SP) tarde desta terça-feira (11). Sidnei Vitor Monteiro, José Eudes Gonzaga, Cristofer Gonçalves dos Santos e Elpídio Alves Coutinho morreram dentro da igreja, baleadas por Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos.

Os corpos das quatros vítimas estão no Instituto Médico Legal (IML) de Campinas e ainda aguardam liberação. Informações sobre velório e enterro não foram divulgados.


Mortos pelo atirador


  • Sidnei Vitor Monteiro - 39 anos
  • José Eudes Gonzaga Ferreira - 68 anos
  • Cristofer Gonçalves dos Santos - 38 anos
  • Elpídio Alves Coutinho - 67 anos

O que já se sabe sobre o ocorrido:


  • Uma missa havia começado às 12h15;
    Homem atira e mata fiéis durante missa na catedral de Campinas — Foto: Arte / G1
  • Um homem entrou armado na Catedral, por volta das 13h;
  • Ele sentou em um dos bancos da igreja e, ao final da celebração, disparou cerca de 20 tiros;
  • Ele matou quatro homens: Sidnei Vitor Monteiro, José Eudes Gonzaga, Cristofer Gonçalves dos Santos e Elpídio Alves Coutinho; e cometeu suicídio na sequência;
  • Quatro pessoas foram atingidas pelos disparos e ficaram feridas;
  • A motivação do crime é investigada pela polícia;
  • Os feridos foram levados ao Mário Gatti, Beneficência Portuguesa e Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp;
  • Para a polícia, o atirador "executou um plano que tinha na cabeça";
  • O atirador foi identificado como Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos - ele chegou a trabalhar no Ministério Público como auxiliar de promotoria, mas saiu do órgão em 2014
  • Segundo a Polícia Civil, o atirador fez tratamento de depressão, era recluso, morava com os pais e tinha um "perfil estranho".

Feridos


Jandira Prado Monteiro, de 65 anos, que foi atingida no tórax e na mão, passou por cirurgia no Hospital Mário Gatti e está em observação. Ela é mãe de Sidnei Vitor Monteiro, que morreu na igreja.

Maria de Fátima Frazão Ferreira, que foi baleada e atendida no HC da Unicamp, recebeu alta no começo da noite desta terça. O marido dela, José Eudes, morreu na Catedral de Campinas.

Entre os feridos estão ainda um homem de 64 anos, que levou dois tiros de raspão, foi atendido no Hospital Beneficência Portuguesa e liberado.

No Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, está internado, em estado grave, Heleno Severo Alves, de 84 anos. Ele foi atingido no tórax e abdômen, passou por procedimento cirúrgico e está na UTI.

'Perfil estranho'


O delegado José Henrique Ventura disse que já foi apurado pela Polícia Civil que Euler chegou a fazer tratamento contra a depressão. O atirador morava com os pais, não trabalhava desde 2015 e tinha, de acordo com ele, um "perfil estranho"

De acordo com a Polícia Civil, o atirador era bastante recluso, costumava ficar dentro do quarto, saia muito pouco de casa e chegou a fazer tratamento psicológico. "Ele tinha um perfil muito estranho, era muito fechado. De 2015 para cá não trabalhou mais", disse José Henrique Ventura.

Cadernos, papéis e o notebook de Euler foram apreendidos pela Polícia Civil e serão analisados pela perícia. Os investigadores ainda tentam descobrir a motivação do crime.


fonte: G1

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE