Postagem em destaque

Fique atento! Criminosos disfarçados de funcionários da EDP aplicam golpes em São José, SP

Criminosos disfarçados de funcionários da EDP, concessionária de energia que atende 19 cidades da região, aplicam golpes em clientes em ...

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Ditador Nicolás Maduro comendo churrasco em restaurante luxuoso e venezuelanos passando fome

Resultado de imagem para Ditador Nicolás Maduro comendo churrasco

Dois terços dos venezuelanos perderam em média 11 quilos no último ano, e a carne sumiu dos mercados, apesar do pacote econômico lançado recentemente pelo governo. Mas, em poucos minutos, a imagem do presidente Nicolás Maduro fartando-se com um churrasco servido pelo chef-celebridade Nusred Gokce em Istambul desmontou a sua tese, repetida exaustivamente em centenas de horas de discursos, de que o imperialismo norte-americano é principal o responsável pela penúria no país.



Com 16 milhões de seguidores no Instagram, o chef deletou o vídeo em que Maduro exibia seus hábitos opulentos, alternando o banquete com baforadas do melhor charuto cubano, retirado de uma caixa personalizada. Era tarde demais para conter a ira dos venezuelanos

A refeição nababesca de Maduro está na contramão da escassez de alimentos e remédios, que põe 87% da população na linha da pobreza, segundo pesquisa realizada por três universidades do país.

Com a maior reserva de petróleo do mundo, a Venezuela parou de produzir notícias boas e também índices oficiais. É um país em colapso, que oscila entre hiperinflação, desabastecimento e perseguição de opositores. No mês passado, o governo criou uma nova moeda, aumentou 35 vezes o salário mínimo e anunciou o corte de subsídios da gasolina. Mas as medidas se mostram ineficazes para reverter o cenário de ruína.

Consumidores examinam carne estragada, misturada à carne fresca, oferecida em Mercado em Maracaibo, na Venezuela, no dia 19 de agosto — Foto: AP Photo/Fernando Llano

Consumidores examinam carne estragada, misturada à carne fresca, oferecida em Mercado em Maracaibo, na Venezuela, no dia 19 de agosto — Foto: AP Photo/Fernando Llano

Num retrato estarrecedor da degradação do sistema de saúde, repórteres do “New York Times” testemunharam, num só dia, a morte de sete bebês. O relatório anual da revista científica "Lancet" revelou crescimento de 65% na mortalidade materna, de 30% na mortalidade infantil e surtos de doenças já erradicadas, como malária e sarampo.

Mais de 2,3 milhões fugiram desta realidade, em êxodo que a ONU compara ao fluxo de refugiados no Mediterrâneo em seu momento mais crítico. Sem opção, os que ficam fazem fila para comprar a carne estragada por frequentes apagões elétricos. Por isso, o banquete turco de Maduro provoca tanta indigestão em seus conterrâneos e deixa às claras o imperialismo chavista.


fonte: G1

youtube
Postar um comentário

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE