Postagem em destaque

Volkswagen vai conceder féria coletivas na fábrica de Taubaté, SP

A Volkswagen vai dar férias coletivas, por quase um mês, de 20 de agosto a 18 de setembro, para funcionários da fábrica em Taubaté (SP). ...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

São Paulo, 463 anos, cinco mulheres de diferentes áreas e perfis contam como é viver na maior nessa metrópole


A expressão é gíria e há mais de uma década dá nome à canção de Rita Lee. Na definição, porém, “Minas de Sampa” cabe o mundo todo de Caetano Veloso – sem a deselegância discreta de suas meninas.
Dos extremos da cidade às regiões mais centrais, cinco mulheres de diferentes áreas e perfis contam como fazem a vida na maior metrópole do país, que completa 463 anos nesta quarta-feira (25), e de que forma ajudam a transformar os espaços ou a realidade de quem vive nela.
Conheça as histórias das "Minas de Sampa" selecionadas pelo G1 para homenagear a cidade:

Elissa Rocabado (Foto: Flávio Moraes/G1)
Formada em moda, Elissa Rocabado começou a tatuar amigos que desejavam incorporar à pele as gravuras de plantas que ela desenhava. Em dois anos, largou emprego fixo para atender a demanda. No processo de mudança, criou uma nova relação com a cidade. Leia aqui a reportagem completa.


Débora Gotlib (Foto: Flávio Moraes/G1)
Criada no interior, Débora Gotlib fez a vida em São Paulo e encontrou sua vocação no visagismo. Hoje, atende preferencialmente mulheres no quintal de sua casa, na Zona Oeste, onde transformou a tesoura em terapia para ajudar as clientes a romper padrões de beleza. Leia aqui a reportagem completa.


Mel Duarte (Foto: Flávio Moraes/G1)
Filha única criada nas Zonas Norte de Sul e São Paulo, ela ganhou projeção nacional ao usar estupro, machismo e racismo como insumo para seus poemas. Com dois livros lançados, e diversos prêmios, ela vive da arte que propaga. Leia aqui a reportagem completa.


Raquel Virgínia (Foto: Flávio Moraes/G1)
Raquel Virginia é integrante do grupo de MPB "As Bahias e a Cozinha Mineira". Dos extremos da Zona Sul, ela revela que criou mecanismos para superar os preconceitos que sofre diariamente e resistir na cidade. Leia aqui a reportagem completa.


Melanito Biyouha (Foto: Flávio Moraes/G1)

MELANITO BIYOUHA - Com restaurante típico em SP, camaronesa quer ensinar brasileiros história da África
Quando chegou à capital paulista, Melanito Biyouha se assustou com a falta de conhecimento sobre seu continente de origem. Hoje, prestes a completar uma década à frente de seu estabelecimento, planeja abrir duas novas unidades na cidade. Leia aqui a reportagem completa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMPARTILHE

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Scorpions - The Concert Live in Munich - Show Completo

Flagra! Chevrolet Spin renovada é vista disfarçada antes da estreia