Postagem em destaque

Fique atento! Criminosos disfarçados de funcionários da EDP aplicam golpes em São José, SP

Criminosos disfarçados de funcionários da EDP, concessionária de energia que atende 19 cidades da região, aplicam golpes em clientes em ...

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Ato na Paulista pede prisão de Lula e critica ministros do Supremo

Resultado de imagem para Ato na Paulista pede prisão de Lula e critica ministros do Supremo
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ao menos oito quarteirões da avenida Paulista, entre a avenida Brigadeiro Luís Antônio e a rua Augusta, foram ocupados por manifestantes pedindo a prisão do ex-presidente Lula, na noite desta terça-feira (3).
Carros de som de cinco movimentos -Vem pra Rua, MBL (Movimento Brasil Livre), Endireita Brasil, Direita Brasil e Nas Ruas- se espalhavam no trajeto por volta das 19h. Não havia estimativa do número de participantes.
A garoa que caía em alguns momentos foi ignorada pelos manifestantes, muitos deles vestindo verde e amarelo, com bandeiras do Brasil e cartazes.
Discursos nos alto-falantes e cartazes citavam os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que nesta quarta-feira (4) julgam o habeas corpus que pode manter o ex-presidente solto.
A ministra Rosa Weber era o principal alvo da pressão. Os pedidos, resumidamente, eram para que ela ouça recado das ruas e faça justiça.
O voto de Rosa é considerado decisivo no julgamento: ela é contra a prisão após segunda instância, mas tem decidido os casos seguindo a jurisprudência do tribunal. 
Conforme mostrou a Folha de S.Paulo, a ministra negou liberdade a 57 condenados em segundo grau -e, no único caso em decidiu a favor, foi por causa da insignificância do crime (uma mulher condenada por roubar R$ 187 em mercadorias).
"Ei, Lula, vai para a cadeia" e "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão" eram alguns dos coros cantados na Paulista, puxados por animadores nos carros de som.
Duas faixas gigantes, que podem ser lidas do alto dos prédios e helicópteros, exibiam as expressões  "Lula na cadeia" e "STF corrupto".
Também se espalham pela avenida mensagens de apoio à Operação Lava Jato e ao juiz Sergio Moro, além de pixulecos (infláveis que representam Lula como presidiário) e bonecos que mostram o magistrado de Curitiba como um super-herói.
"O Brasil não pode mais ser comandado pelo mecanismo do crime organizado", gritava um manifestante em um dos caminhões de som, fazendo uma associação com a série "O Mecanismo", da Netflix.
ATOS PELO BRASIL
O movimento Vem Pra Rua diz que foram convocados atos em mais de cem cidades, distribuídas por 20 estados. Estão previstos ainda protestos nos Estados Unidos, na Inglaterra, na Itália e no Chile, segundo a organização.
O MBL marcou atos em mais de 70 cidades, espalhadas por 21 estados. O grupo fez intensa campanha em redes sociais pedindo o comparecimento aos protestos, "faça chuva ou faça sol", e relacionando a presença de manifestantes ao combate à impunidade.
Apoiadores de Lula também realizam atos pelo país a partir desta terça-feira, pedindo ao STF que conceda o habeas corpus a ele.
Estão agendadas mobilizações nas redondezas do prédio onde o petista mora, em São Bernardo do Campo, e em outras capitais. Defensores do petista vão ainda se concentrar em frente ao STF, em Brasília, durante o julgamento.
Nesta quarta, o SupreMo julgará habeas corpus do petista. O tribunal havia decidido que o ex-presidente não poderá ser preso até esta data.
O TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) condenou, em janeiro, o ex-presidente a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. No último dia 26, manteve a condenação ao analisar recurso da defesa do petista.
fonte: Folhapress
Postar um comentário

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE