Postagem em destaque

Deputados de SP aprovam indenização de 23 anos para quem se demitir

Se o projeto for sancionado pelo governador Márcio França, celetistas que pedirem as contas ganharão 80% do salário por 23 anos Assemblei...

sábado, 7 de abril de 2018

Entenda o que acontece a partir de agora com Lula que não se entregou à PF

Entenda o que acontece a partir de agora com Lula que não se entregou à PF

Entenda o que pode acontecer caso a violência seja incitada por apoiadores de Lula

Uma eventual resistência popular com o não se entregar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Polícia Federal, cujo prazo se encerrou as 17h desta sexta-feira, 6, pode trazer consequências judiciais a quem incitar a violência.

O artigo 344 do Código Penal prevê detenção de um a quatro anos para quem usar de violência “com o fim de favorecer interesse próprio ou alheio” contra a autoridade chamada a intervir.

Como o mandado ainda não foi expedido – o juiz Sérgio Moro deu 24 horas para Lula se entregar à Polícia Federal de Curitiba -, a Justiça determinaria a prisão caso ele não se apresente às autoridades. “Se ele se trancar em casa à noite, a polícia aguarda amanhecer e entra na residência”, aponta a criminalista Fernanda de Almeida Carneiro, professora da pós-graduação em Direito Penal do IDP-SP.

Nesse caso, no entanto, Lula não sofreria nenhum tipo de punição – afinal, seria apenas o cumprimento de um mandado recém-expedido. O que pode causar problemas judiciais é uma eventual incitação à violência por parte do ex-presidente ou de seus apoiadores.

“Vamos imaginar que a polícia chegue e tenha um cordão humano clamando para que ela vá embora. As pessoas que eventualmente usarem de violência ou grave ameaça para favorecer o ex-presidente praticam o crime disposto no artigo 344 do Código Penal”, explica o criminalista Fernando Castelo Branco, coordenador do curso de pós-graduação de Direito Penal do IDP-SP.

Contudo, os especialistas não acreditam que Lula resista. Pode ser que o ex-presidente não vá a Curitiba, mas se apresente em outra sede da PF para que se dê o cumprimento do pedido de Moro. “O importante é que ele fique sob a custódia do Estado, não importa se é em Curitiba. Se ele quiser se apresentar em São Paulo, bastaria a defesa justificar isso nos autos”, explica o criminalista Carlos Eduardo Scheid.

O ex-presidente do PT Rui Falcão afirmou na manhã desta sexta-feira que Lula não vai se entregar em Curitiba. Lula passou a noite no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, com os filhos e correligionários. Estiveram com ele a ex-presidente Dilma Rousseff e os presidenciáveis Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D’Ávila (PCdoB), entre outros aliados.

Última Hora
Entenda o que acontece a partir de agora com Lula que não se entregou à PFO portal UOL informou a poucos instantes que um carro de reportagem da Band News foi apedrejado na frente do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo.

Postar um comentário

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

COMPARTILHE