Postagem em destaque

Brasil na Copa: Barbara Gerneza, jornalista russa, fala sobre assédio de torcedores brasileiros

Barbara fazia reportagem sobre torcedores na Copa do Mundo da Rússia quando foi surpreendida pela atitude de um grupo de 14 brasileiros; ...

domingo, 7 de maio de 2017

Chevrolet Cruze LTZ x Honda Civic EXL x Toyota Corolla XEi

Chevrolet Cruze LTZ, Honda Civic EX e Toyota Corolla XEi

Chevrolet Cruze LTZ, Honda Civic EXL e Toyota Corolla XEi (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O Corolla ganhou frente retocada, painel melhorado e, enfim, ESP. Conseguirá repetir no comparativo sua superioridade sobre Civic e Cruze no mercado?

Líder absoluto no segmento (fechou 2016 vendendo quase o dobro da quantidade de Civic e Cruze somados), o Corolla acaba de chegar reestilizado.

A linha 2018 põe fim em um dos defeitos do Toyota mais criticados: a ausência de controle eletrônico de estabilidade e tração – item amplamente oferecido em carros de categorias inferiores e, há tempos tido como padrão entre os sedãs médios. De quebra, o Corolla ganhou  um retoque no visual.
Em 2016, o Corolla vendeu, sozinho, quase o dobro de unidades de Civic e Cruze somados
Em 2016, o Corolla vendeu, sozinho, quase o dobro de unidades de Civic e Cruze somados (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Assim como a Honda, a Toyota conhece muito bem o comprador de sedã – e ambas sabem, como nenhuma outra marca no Brasil, o quanto eles estão dispostos a pagar (e olha que não é pouco) pelo bom atendimento da rede e pelo fôlego no mercado de usados.
A versão mais vendida do Corolla, XEi, saltou de R$ 96.990 para R$ 99.990 no relançamento. Menos de dois meses depois, já subiu para R$ 103.990. Foi ela que balizou este confronto dos sedãs logo acima dos R$ 100.000.
As mudanças da linha 2018 são poucas, mas bem-vindas. Além do ESP, a dianteira foi reestilizada (grades mais esportivas e faróis ligeiramente mais afilados), as rodas cresceram (aro 16 para 17, como a dos rivais) e a traseira recebeu lanternas com novo layout (o formato é o mesmo).
Lanternas: o formato é o mesmo, mas o layout foi renovado
Lanternas: o formato é o mesmo, mas o layout foi renovado (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Por dentro, só a nova central multimídia (mas o velho relógio digital ainda está lá), difusores de ar laterais redondos e quadro de instrumentos com novo grafismo e um visor que agora é colorido.
Uma das novidades no painel são as saídas de ventilação estilo turbina
Uma das novidades no painel são as saídas de ventilação laterais no estilo turbina (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Central multimídia foi renovada e tem mais recursos
Central multimídia foi renovada e tem mais recursos, mas relógio digital ficou em posição pior, mais afastada (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Na mecânica, nada além de uma recalibragem da suspensão para se adaptar às rodas maiores. Motor e câmbio são os mesmos: um quatro cilindros 2.0 de 154/143 cv e uma caixa automática do tipo CVT, de relação continuamente variável com sete marchas virtuais.
O Civic usa receita semelhante e saiu do nosso campo de provas com resultados muito parecidos nas acelerações e frenagens, mas superou o Corolla no consumo.
O motor 2.0 aspirado conta com até 154 cv e 20,7 mkgf
O motor 2.0 aspirado conta com até 154 cv e 20,7 mkgf (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Com seus bancos dianteiros largos como poltronas e traseiro com uso beneficiado pelo piso quase plano no centro, o Corolla recebe bem a família. O acerto macio da suspensão garante uma rodagem suave, mas os rivais têm melhor equilíbrio entre conforto e esportividade.
A espaçosa cabine tem bancos dianteiros com assentos e encostos largos
A espaçosa cabine tem bancos dianteiros com assentos e encostos largos (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Atrás, o piso plano permite ao ocupante do centro viajar com menos aperto
Atrás, o piso plano permite ao ocupante do centro viajar com menos aperto (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Apesar de ter dado uma boa arejada no look, o facelift não fez milagre. O Corolla é um projeto defasado em relação aos rivais, como denunciam as colunas com pouca inclinação. Mas, quer saber? Talvez esse aspecto conservador seja uma das grandes forças do Toyota: desde que Cruze e Civic mudaram de geração e ficaram mais radicais, o Corolla se distanciou deles no ranking de vendas.
Porta-malas carrega 470 litros
Porta-malas carrega 470 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Embora tenha encostado nos rivais em termos de conteúdo e design, o Corolla 2018 segue tecnicamente inferior. Ainda não foi desta vez que o comparativo entre os três líderes refletiu o ranking de vendas.

Honda Civic EXL

Tivesse a versão EXL (R$ 105.900) o motor 1.5 turbo do Civic Touring (R$ 124.900), o resultado do comparativo seria outro. Nada contra o 2.0 aspirado. Pelo contrário: com 155/150 cv, ele está alinhado ao 1.4 turbo de 153/150 cv do Cruze. Ainda que inferior, o torque de 19,5/19,3 de mkgf do Honda (no GM são 24,5/24 mkgf) dá conta do recado. A questão é como isso tudo se traduz na prática.
Civic tem o visual mais ousado
Civic tem o visual mais ousado (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Como a força máxima chega em uma rotação mais baixa (a cerca de 2.000 rpm), o acelerador do Cruze trabalha menos do que no Civic, no qual o pico de torque só é atingido após 5.000 rpm.
Isso explica a superioridade do Cruze quando o assunto é eficiência: cumpre provas de desempenho como a aceleração de 0 a 100 km/h em 9 segundos (ante 10,5 s do Civic e 10,6 segundos do Corolla) e ainda bebe pouco – só foi superado pelo Civic na prova de consumo urbano, com 11,8 km/l ante 12,6 km/l.
O motor 2.0 aspirado chega até a 155 cv
O motor 2.0 aspirado chega até a 155 cv e 19,5 mkgf (Christian Castanho/Quatro Rodas)
A versão EXL fica acima da EX (R$ 98.400) e traz como diferenciais a central multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas com GPS, painel de instrumentos com display digital colorido e sistema de oito alto-falantes, além dos seis airbags, freio de estacionamento eletrônico e piloto automático.
Não se iluda com o painel multicolorido e a central multimídia touch-screen do Civic EXL: o EX tem versões mais simples
Versão EXL tem painel digital colorido e central multimídia touch-screen (Christian Castanho/Quatro Rodas)
O Civic tem suas armas para se defender da superioridade técnica do Cruze. Com 4,62 metros, é o maior da turma. Mas como os três empatam no entre-eixos (2,7 metros), há um equilíbrio na oferta de espaço interno, com discreta vantagem para o Civic.
Dos três, o Civic é o único que oferece console central
Dos três, o Civic é o único que oferece console central (Christian Castanho/Quatro Rodas)
O Civic tem o maior comprimento e tem uma discreta vantagem em relação aos rivais no espaço interno
Maior comprimento cria uma discreta vantagem em relação aos rivais no espaço interno (Christian Castanho/Quatro Rodas)
É no porta-malas que ele aproveita o benefício do corpo mais avantajado: são 519 litros de volume interno, ante 470 litros do Corolla e 440 litros do Cruze.
O sedan oferece o maior porta-malas: 519 litros
O sedan oferece o maior porta-malas: 519 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)
O Civic concentra seus maiores destaques na traseira. Além do porta-malas gigante, tem a linha do teto em queda prolongada, o que lhe confere um estilo cupê de quatro portas. Ele é o único com suspensão traseira multilink, cuja construção confere maior capacidade de manter as rodas em contato com o asfalto do que o baseado em eixo de torção, aplicado no Cruze e no Corolla.

Chevrolet Cruze LTZ

Que ironia a vida do Cruze: nem no mercado norte- americano, onde o povo é assumidamente nacionalista, ele consegue fazer frente à dupla nipônica. Em 2016, enquanto Civic e Corolla emplacaram, cada um, mais de 360.000 unidades, o Cruze parou abaixo das 200.000. Para piorar, enquanto os japoneses ganham fôlego ano após ano, o Cruze perde: em 2016, vendeu 16,6% menos que em 2015.
O Cruze teve o melhor desempenho no 0 a 100 km/h: 9 segundos
O Cruze teve o melhor desempenho no 0 a 100 km/h: 9 segundos (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Fontes ligadas à Chevrolet do Brasil revelam: “Contratamos uma consultoria externa, estamos fazendo pesquisas de campo e mudamos o direcionamento da campanha de marketing. Simplesmente não entendemos por que o Cruze não decola em vendas, uma vez que é tão superior aos japoneses”. Exageros paternalistas à parte, essa decepção tem razão de ser.
Quando o assunto é mecânica, nem os donos de Civic e Corolla conseguem disfarçar a dor de cotovelo: o motor 1.4 com turbo e injeção direta confere ao Cruze um desempenho muito mais empolgante do que o 2.0 aspirado dos orientais e ainda é econômico.
Motor 1.4 turbo conta com até 153 cv, mas o destaque é o torque: 24,5 mkgf a apenas 2.000 rpm
Motor 1.4 turbo conta com até 153 cv, mas o destaque é o torque: 24,5 mkgf a apenas 2.000 rpm (Christian Castanho/Quatro Rodas)
O câmbio automático com conversor de torque tem uma marcha a menos (seis) que os CVTs dos rivais (sete velocidades virtuais). Na prática, todos funcionam suave, mas o do Cruze é mais silencioso. Porém, faltam as borboletas no volante para troca de marchas, presentes no Civic e até no conservador Corolla.
Ao volante, apesar de não contar com a suspensão traseira multilink do Civic, o Cruze continua se mostrando bem resolvido, alcançando o melhor compromisso entre conforto e dirigibilidade.
Entre os principais equipamentos estão a multimídia de 7 polegadas com Android Auto e Apple Car Play e o start-stop
Assim como o Civic, o Cruze das fotos também tem multimídia e painel (além de outros itens) mais invocados do que o LTZ -1, considerado nesse comparativo (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Em pesquisa feita em seis autorizadas em março, apuramos que o LTZ-1 era vendido por R$ 99.500. Já o LTZ-2, mais equipado, saía por R$ 105.500 – na tabela, o LTZ-1 sai por R$ 102.990 e o LTZ-2 R$ 112.990.
Quase todos os modelos cotados já incluíam pintura metálica (de R$ 1.500). Atente para o seguro. Segundo a Bidu Corretora, sai por R$ 7.323, ante R$ 4.894 (do Civic) e R$ 4.996 (do Corolla).
Além dos airbags frontais, o Cruze oferece os laterais e de cortina na lista de equipamentos
Além dos airbags frontais, o Cruze oferece os laterais e de cortina na lista de equipamentos (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Acabamento em tons claros tem lá seus fãs (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Mesmo no primeiro nível, a versão LTZ tem um bom pacote de equipamentos de segurança e conforto. Chave presencial, multimídia com tela de 7 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, start-stop, airbags laterais e cortina, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro e OnStar, só para citar os principais.
Cruze conta com o menor porta-malas: 440 litros
Cruze conta com o menor porta-malas: 440 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)
Bom de guiar, atual, completo e eficiente, o Cruze segue contrariando o ranking de vendas e leva a melhor sobre a dupla japonesa.

Veredicto

Nunca o Corolla esteve tecnicamente tão perto dos rivais. Ainda assim, é um projeto mais antigo. Nem o Civic foi páreo para o ótimo motor e o pacote de equipamentos do Cruze.

Teste de pista (com gasolina)

Cruze LTZCivic EXLCorolla XEi
Aceleração de 0 a 100 km/h9 s10,5 s10,6 s
Aceleração de 0 a 1.000 m30,1 s – 178 km/h31,5 s – 171 km/h31,9 s – 167 km/h
Retomada de 40 a 80 km/h (em D)3,8 s4,8 s4,3 s
Retomada de 60 a 100 km/h (em D)4,9 s5,6 s5,7 s
Retomada de 80 a 120 km/h (em D)6 s7 s7,3 s
Frenagem de 60 / 80 / 120 km/h a 014,7 / 26,7 / 64,1 m15,1 / 26,1 / 61,8 m16,1 / 28,9 / 66,9 m
Consumo urbano11,8 km/l12,6 km/l10,9 km/l
Consumo rodoviário15,9 km/l15,4 km/l14,6 km/l
Ruído interno (neutro / RPM máximo)41,2 / 73,7 dBA37,3 / 72,4 dBA34,7 / 74 dBA
Ruído interno (80 / 120 km/h)62,3 / 67,7 dBA60,8 / 68,5 dBA59,4 / 72,3 dBA
Aferição real do velocímetro a 100 km/h95 km/h96 km/h98 km/h
Rotação do motor a 100 km/h em 5ª marcha1.900 rpm1.750 rpm2.500 rpm
Mais modernos, Cruze e Civic também são mais eficientes
Mais modernos, Cruze e Civic também são mais eficientes (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Ficha técnica

Cruze LTZCivic EXLCorolla XEi
Preço (configurações avaliadas)R$ 102.990R$ 105.900R$ 103.990
Motorflex, diant., transv., 4 cil., 16V, turbo, injeção direta, 1.399 cm³, 74 x 81,3 mm, 153/150 cv a 5.200/5.600 rpm,
24,5/24 mkgf a 2.000/2.100 rpm
flex, diant., transv., 4 cil., 16V, 1.997 cm³, 81 x 96,9 mm, 155/150 cv a 6.300 rpm, 19,5/19,3 mkgf a 4.800/4.700 rpmflex, diant., transv., 4 cil., 16V, 1.986 cm³, 80,5 x 97,6 mm, 154/143 cv a 5.800/5.600 rpm, 20,7/19,4 mkgf a 4.800/4.000 rpm
Câmbioautomático, 6 marchas, tração dianteiraautomático, CVT, 7 marchas, tração dianteiraautomático, CVT, tração dianteira
SuspensãoMcPherson (diant.), eixo de torção (tras.)McPherson (diant.),
multilink (tras.)
McPherson (diant.) / eixo de torção (tras.)
Freiosdiscos ventilados (diant.) e sólidos (tras.)discos ventilados (diant.) e sólidos (tras.)discos ventilados (diant.) e sólidos (tras.)
Direçãoelétrica, 10,2 m (diâmetro de giro)elétrica, 11,2 m (diâmetro de giro)elétrica, 10,2 m (diâmetro de giro)
Rodas e pneus215/50 R17215/50 R17215/50 R17
Dimensõescomprimento, 466,5 cm; largura, 180,7 cm; altura, 148,4 cm;
entre-eixos, 270 cm; porta-malas, 440 l, tanque de combustível, 52 l
comprimento, 463,7 cm; largura, 180 cm; altura, 143,3 cm; entre-eixos, 270 cm;
porta-malas, 519 l; tanque de combustível, 60 l
comprimento, 462 cm; largura, 177,5 cm; altura, 147,5 cm; entre-eixos, 270 cm;
porta-malas, 470 l; tanque de combustível, 60 l
Equipamentos de sériear-condicionado digital, central
multimídia, GPS, OnStar, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, 6 airbags, alerta de baixa pressão dos pneus, luzes
diurnas led, controle de estabilidade
ar-condicionado digital, auxílio de partida em ladeira,
controle de estabilidade, central multimídia touchscreen, airbags laterais e do tipo cortina, luzes diurnas e lanternas
led, piloto automático, painel digital colorido
ar-condicionado digital, luzes diurnas e lanternas led, central multimídia, GPS, trio elétrico, faróis de neblina, airbags laterais, do tipo cortina e de joelho para motorista, piloto automático, faróis automáticos, controle de estabilidade

fonte:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMPARTILHE

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Scorpions - The Concert Live in Munich - Show Completo

Flagra! Chevrolet Spin renovada é vista disfarçada antes da estreia