Postagem em destaque

Patinadora é traída por uniforme, perde pontos e sai chorando: "Pior pesadelo"

Gabriella Papadakis acaba deixando seio à mostra e não esconde desconforto. Apesar do incidente com o figurino, dupla francesa termina c...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Mãe se veste de palhaço se acorrenta em protesto por vaga em escola em S.José dos Campos, SP

Para protestar por vaga para as filhas em escola, mulher fica acorrentada a portão da unidade (Foto: João Mota/G1)
Em protesto pela falta de vagas, uma mãe vestida de palhaço está acorrentada no portão de uma escola da rede municipal em São José dos Campos (SP) na tarde desta quinta-feira (9). A dona de casa Meire Ferreira diz que tenta, sem sucesso, há quatro anos fazer a matrícula de duas filhas em uma escola do bairro Bosque dos Eucaliptos.
A mulher diz que as crianças, de 11 e 6 anos, permanecem na fila de espera por vagas na escola Elza Regina Ferreira Bevilacqua desde que elas mudaram de São Paulo para a cidade, que fica no interior de São Paulo. Apenas a filha de 9 anos conseguiu fazer a matrícula.
Segundo ela, a unidade é a mais próxima da casa da família - a cinco quadras do imóvel. O trajeto ela conta que faz, a pé, em dez minutos.
Mãe cobra vaga para as filhas perto de casa (Foto: João Mota/G1)Mãe cobra vaga para as filhas perto de casa
(Foto: João Mota/G1)
Dificuldade
Enquanto a mãe não consegue a vaga, as meninas estão matriculadas em escolas estaduais no mesmo bairro, porém, segundo a mãe, mais distantes.
"São três crianças e três escolas diferentes. Eu não tenho como pagar van escolar para elas e não tenho carro. Então, levo as três meninas de bicicleta. Levo uma, busco a outra, encontro outra no meio do caminho e para pegar também, é a mesma situação. É uma luta que não está sendo fácil. Eu só quero que elas estudem juntas na mesma escola mais perto de casa", afirmou.
A filha mais nova de Meire estuda na escola estadual Ayr Picanço Barbosa de Almeida e, a outra, na Escola Estadual Nelson Ferreira da Silva. Ela conta que de bicicleta, demora cerca de 15 minutos para levar cada uma para a aula.
Para tentar solucionar o problema, ela foi para a frente da escola ao 12h desta quinta, com cartaz, vestida de palhaça e também decidida a fazer greve de fome. Ela diz que só pretende sair da frente do prédio quando conseguir as matrículas.
"Eu só estou com água e só vou sair da porta da escola depois que elas forem matriculadas. Acordei decidida a resolver esse problema porque não é certo que elas fiquem em escolas mais distantes de casa. Gente que nem é do bairro estuda aqui e, além disso, outras mães também enfrentam dificuldades em conseguir vagas", reclamou.
Outro lado
A Prefeitura de São José dos Campos informou à reportagem da TV Vanguarda, na tarde desta quinta-feira,  que o critério principal para liberação das vagas é a abrangência, ou seja, quem mora mais próximo à unidade tem preferência para as matrículas.
A administração municipal informou, ao contrário do que a mãe declarou, que as escolas estaduais são mais próximas da casa da família.
  •  
Em cartaz, mulher relata dificuldade imposta pela falta de vaga na rede municipal (Foto: João Mota/G1)Em cartaz, mulher relata dificuldade imposta pela falta de vaga na rede municipal (Foto: João Mota/G1)fonte:http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/noticia/2017/02/por-vaga-mae-vestida-de-palhaco-protesta-acorrentada-escola.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Malafaia defende Bolsonaro e critica imprensa: “Vão eleger ele no 1º Turno”

AO VIVO - TV Canção Nova