SCANIA - TECNOLOGIA - ÔNIBUS MOVIDO A GÁS

Liderado pela deputada estadual do PT, professores fazem carreata contra volta às aulas em São Paulo




Professores da rede pública de ensino do estado de São Paulo, na última terça-feira (07), fizeram manifestações em diversas cidades contra a volta às aulas, agendada pelo governador João Dória, para ocorrer em 08 de setembro de 2020. O ato foi organizado pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), liderado pela deputada estadual do PT, professora Bebel.
Os professores exigiram do governo uma “base científica” para o retorno às aulas.
O governador de São Paulo, João Doria, disse no último dia 24 que as aulas presenciais na rede de ensino do estado voltarão a partir de 8 de setembro, em sistema de rodízio. A medida irá afetar 13,3 milhões de alunos tanto da rede pública quanto da rede privada, e abrangerá todas as etapas de ensino, do infantil ao universitário de São Paulo.
O governo quer que as aulas voltem de forma gradual, atendendo apenas 35% dos alunos, respeitando o distanciamento de 1,5 metro. Isso deverá ser feito em forma de rodízio. Os outros alunos seguirão as aulas de forma remota e online.
“O primeiro local que teve de ser fechado foi a escola, e o último a voltar deverá ser a escola. Qual é a base sanitária para o retorno em 8 de setembro? Qual é a base científica?”, questionou a presidente da Apeoesp, a professora Bebel Azevedo Noronha.
De acordo com a Apeoesp, o retorno das atividades presenciais nas escolas do estado só deveria ocorrer com a garantia sanitária da comunidade escolar.
“Será que simplesmente mudar, colocar menos alunos nas salas de aula, mudar o dia de ir para aula, a quantidade de horas, só isso dá conta? O projeto arquitetônico das escolas não dá conta de tratar dessa questão porque tem salas que são improvisadas. Nós sabemos disso”, disse Bebel.
*Com informações da Agência Brasil
fonte: Estudos Nacionais.com

Comentários

POSTAGENS MAIS ACESSADAS

Imagens fortes! Gamer mata amiga na vida real, filma, debocha e diz que tinha pacto satânico

Gratidão, Presidente!