Postagem em destaque

Placa Mercosul - Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira, 22, o fim do monopólio das placas Mercosul

O presidente da República, Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira, 22, o fim do monopólio das placas Mercosul, criadas durante os...

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Honda aumenta produção em Campinas e é processada em R$ 66 milhões


MPT fala em assédio organizacional,produtividade cresceu 123,3%, procuradores veem risco à saúde
A fábrica da Honda em Sumaré (SP), na região de Campinas, está sendo processada na Justiça do Trabalho “por negligência à saúde de empregados e assédio organizacional”. O MPT (Ministério Público do Trabalho) pede a condenação da montadora japonesa e pagamento de multa de R$ 66 milhões por danos morais coletivos e desrespeito às leis trabalhistas. Eis a íntegra de comunicado divulgado pelo MPT sobre o caso.
O motivo do processo é o fato de a fábrica japonesa impor a seus funcionários “ritmo frenético” e “muito acelerado”, conforme destaca o MPT em ação civil pública. O órgão menciona, por exemplo, que “a quantidade de veículos produzidos correspondeu a 123,3% da capacidade de produção da empresa” em 2015.
Para processar a Honda, os procuradores do trabalho mencionam laudos periciais e relatórios do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador de Campinas, mas reconhecem ter feito uma “rápida” análise de dados para concluir que há “probabilidade” de conduta imprópria.
Uma rápida análise dos afastamentos dos últimos 10 anos da produção, nas áreas de solda, pintura e linha de montagem revelam quantidade significativa de adoecimentos osteomusculares, cuja probabilidade de ter relação com o trabalho é alta, mas que não tem Comunicação de Acidente de Trabalho emitida.
Além da condenação e imposição de multa à empresa japonesa, os procuradores do trabalho requerem ainda que sejam impostas 14 obrigações de fazer ou não fazer na fábrica da Honda. O processo tramita na Vara do Trabalho de Sumaré.

fonte: Poder360

Nenhum comentário:

COMPARTILHE