sexta-feira, 28 de setembro de 2018

José Dirceu promete tomada do poder mesmo se partido (PT) perder eleições

Resultado de imagem para José Dirceu promete tomada do poder mesmo se partido perder eleições

Em entrevista ao jornal espanhol El Pais, José Dirceu afirmou “dentro do país é uma questão de tempo pra gente tomar o poder”. 


"Um dos nomes mais poderosos que já esteve à frente do Partido dos Trabalhadores, José Dirceu, preso três vezes por participar dos dois maiores escândalos de corrupção da história do Brasil, no Mensalão e Petrolão, declarou em entrevista ao jornal espanhol El Pais que “é uma questão de tempo” para os petistas retornarem ao poder, independentemente do resultado das eleições. 
Ao fugir da pergunta se o PT teria participação em um suposto “momento de ódio” que o Brasil estaria atravessando, Dirceu defendeu Lula, também condenado por corrupção, e atribuiu o cenário atual ao “golpe” (impeachment de Dilma) e a Lava Jato. E completou: “De certa maneira, há um sentimento de que houve uma injustiça com Lula, que o Lula é perseguido. E quando se diz que alguém é perseguido, você não entra mais no mérito de por que a pessoa está respondendo por um suposto crime, você parte do princípio que ele é perseguido”. 
O jornal perguntou se existiria a possibilidade de o PT vencer as eleições presidenciais neste ano, mas “não levar”. Foi quando o ex-homem forte da esquerda brasileira disparou: “Acho improvável que o Brasil caminhará para um desastre total. Na comunidade internacional isso não vai ser aceito. E dentro do país é uma questão de tempo pra gente tomar o poder. Aí nós vamos tomar o poder, que é diferente de ganhar uma eleição.” 
Contradição
A entrevista foi dada em meio à campanha de divulgação do livro com as memórias de José Dirceu. Além disso, o histórico petista se mantém ativo na política, articulando, por exemplo, o apoio do MDB para a candidatura de Fernando Haddad. O MDB, é bom lembrar, foi um dos partidos que mais trabalharam pela deposição da ex-presidente Dilma, fato considerado como “golpe” por Dirceu e militantes radicais. 
Segundo reportagem de Débora Álvares, publicada na semana passada pela Gazeta do Povo, o ex-ministro petista atua nos bastidores da legenda trabalhista e mantém conversas com antigos aliados do MDB para uma futura aliança com Fernando Haddad em eventual segundo turno para presidente. Os senadores Renan Calheiros (AL) e Eunício Oliveira (CE) estão entre os preferidos nas conversas, mas também mantém interlocução com Jader Barbalho (PA) e até os ex-líder do governo de Michel Temer, Romero Jucá (RR). Todos dos MDB. 

fonte: noticiasagricolas/Gazeta do Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMPARTILHE

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

Entre em nosso Grupo de Notícias WhatsApp

Flagra! Chevrolet Spin renovada é vista disfarçada antes da estreia