Polícia Federal deflagra operações contra corrupção no Ceará e São Paulo



A Polícia Federal iniciou a última quinzena de maio trabalhando intensamente. Hoje, terça-feira (26), no Rio de Janeiro e São Paulo, a Polícia Federal deflagrou a Operação Placebo que tem como foco o Governador do Rio de Janeiro e, agora, no Pará, a Operação Plata o Plomo, onde a PF cumpriu quatro mandados de busca e apreensão. Na última segunda-feira (25) a Polícia Federal deflagrou a Operação Dispnéia, no Ceará, onde investiga contratação de empresa que forneceria respiradores para sistema de saúde cearense.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça feira (26/5) a Operação Plata o Plomo, no município de Altamira/PA, com o objetivo de combater atividade criminosa de empréstimo a juros, realizada por pessoas não autorizadas para, principalmente, pequenos empreendedores da cidade. Cerca de 13 policiais federais foram mobilizados para o cumprimento de quatro mandados de busca e apreensão em desfavor de parte dos investigados, todos da nacionalidade colombiana.
Nas buscas foram apreendidos mais de R$ 23 mil em diversas moedas estrangeiras, entre elas: dólar, euro, pesos colombianos e bolívares venezuelanos. Além disso, foram apreendidas cinco munições calibre .38 e vários cartões de visitas utilizados para a cobrança diária dos valores no comércio. Inicialmente, os alvos responderão por operar instituição financeira sem autorização, art. 16, da Lei nº 7492/1986 e integrar organização criminosa, art. 2º, da Lei nº 12850/2013. O nome da operação faz referência a uma expressão que ficou conhecida por ser utilizada pelo narcotraficante colombiano Pablo Escobar, que significa que a pessoa deveria se submeter a sua conduta criminosa ou seria assassinada.
Operação Dispnéia
A Polícia Federal, em parceria com o Ministério Público Federal e a Controladoria-Geral da União deflagrou, na manhã desta segunda-feira (25/5), a Operação DISPNÉIA. Estão sendo cumpridos oito Mandados de Busca e Apreensão em domicílios, empresas e órgãos públicos em Fortaleza/CE e São Paulo/SP.
Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal do Ceará, após representação decorrente de Inquérito Policial que apura malversação e desvio de recursos públicos federais, bem como crimes previstos na lei de licitações, na aquisição de equipamentos respiradores em dois procedimentos de dispensa de licitação realizados pela Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza/CE. A PF investiga a contratação de uma empresa paulista de duvidosa capacidade técnica e financeira para entrega dos equipamentos.
A investigação identificou indícios de que, além da ausência de capacidade técnica e financeira da empresa contratada, houve superfaturamento dos valores pagos pelos equipamentos, que atingiram o montante de R$ 34,7 milhões. Comparando-se com outras aquisições de equipamentos com a mesma especificação durante o período de pandemia, chegou-se a indícios de um potencial prejuízo financeiro de até R$ 25,4 milhões aos cofres públicos.
A operação policial se desenvolve sem quaisquer prejuízos à continuidade do serviço público de saúde, inclusive, não estão sendo apreendidos equipamentos que são utilizados para o atendimento à população na rede hospitalar. Os investigados poderão responder, na medida das suas responsabilidades, pelo crime de peculato, tipificado no artigo 312 do Código Penal e pelo crime de dispensa irregular de licitação, previsto no artigo 89 da Lei 8.666/83.
*Com informações da Polícia Federal
fonte; Estudos Nacionais.com

Comentários

MAIS LIDAS

Gratidão, Presidente!

Duas histórias degradantes

O estapafúrdio contrato “ultraconfidencial” entre o Butantan e a Sinovac, que não especifica valor entre as partes