Witzel atacou a PF poucos dias antes de ser alvo de operação

Witzel enfrenta vaias e gritos de traidor em evento no Rio
Na última terça-feira (19), Wilson Witzel (PSC-RJ), governador do Rio de Janeiro, negou qualquer envolvimento em um esquema de corrupção nos órgãos de saúde do Estado em meio à pandemia de coronavírus.
“Eu acho, assim como vários governadores, que a Polícia Federal está fazendo várias ilações. Estão tentando colocar todos os governadores em investigação”, disse Witzel em entrevista¹.
Uma semana depois, Witzel acordou com as notícias² da operação “Placebo”, que mira suspeitas de desvios de recursos da saúde do Rio.
Ao todo, 12 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos — um deles no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador.
Witzel e a esposa, Helena, também são alvos da operação, que foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

fonte; Renova Mídia

Comentários

MAIS LIDAS

Gratidão, Presidente!

Duas histórias degradantes